O ano de 2014 deixou números preocupantes para a economia brasileira. O decréscimo de vagas no setor industrial ultrapassou os 160 mil, fazendo com que pela primeira vez desde 2002 a relação entre admissão e demissão fosse negativa.

Mesmo havendo uma diminuição percentual dos empregados na indústria nos últimos anos relativa aos outros setores, como construção, comércio e serviço, a geração de empregos diretos superava a quantidade de demissões, fato que deixou de ocorrer no último ano.

China agrava situação no mercado brasileiro

A China é um país que vem crescendo de forma muito acentuada nos últimos anos, motivado principalmente pela instalação de indústrias de grande porte, que encontram mão de obra barata e custos de operação bem abaixo do padrão mundial.

Publicidade
Publicidade

O país mais populoso do mundo já supera os 1,3 bilhões de habitantes, e este fator faz com que a concorrência por emprego faça de muitos chineses praticamente escravos em um setor que sabe muito bem como explorar essa necessidade. Além do fator humano, as indústrias encontram facilidades de instalação apoiadas nas leis chinesas, em destaque as ambientais, que reduzem em muito os custos de implantação e manutenção no país.

Devido aos baixos custos dos produtos fabricados em território chinês, muitas indústrias brasileiras não conseguem aplicar valores competitivos no mercado nacional, o que leva à queda da produção e demissão para controlar gastos.

Impacto da indústria nos outros setores

A queda de produção em uma indústria, além dos problemas já citados, acaba impactando outros deste mesmo setor, já que a linha de produção é interligada.

Publicidade

Quando uma empresa necessita de produtos oriundos de outra, e esta segunda não tem mais capacidade para suprir a demanda, a primeira acaba atingida e obrigada a tomar medidas de contenção de produção também, refletindo então esta queda a outras, formando um aglomerado deste prejuízo.

Com o setor industrial enfraquecido, boa parte da população dependente diretamente deste setor tem um poder aquisitivo reduzido, o que leva a enfraquecer setores como o de serviços e comércio, por exemplo.

Previsão para os próximos meses

O ano de 2015 está apenas começando e as previsões não indicam que será um bom período para o setor industrial no Brasil. Muitas empresas estão afastando funcionários por tempo determinado, procurando medidas para resolver da melhor forma estes problemas, mas poucas estão encontrando soluções e o futuro de muitos trabalhadores é ainda incerto.

As expectativas não apontam uma reviravolta do setor para os próximos meses se não houver mudanças para o seu fortalecimento, o que é muito preocupante. Caberá ao governo tomar medidas econômicas para fortalecer a indústria nacional antes que esta mergulhe em uma crise. #Desemprego