No sentido de aumentar o capital de giro, é visível o aumento no número de industriais que recorrem às linhas de crédito à pessoa física. Analistas indicam que o quadro geral acontece em consequência das dificuldades que empresários possuem para solicitar empréstimos. O Indicador de Atividade da Micro e Pequena Indústria de São Paulo SIMPI/Datafolha consiste no conjunto de dados que aponta o respectivo quadro geral.

Linhas de crédito e juros

A instituição de pesquisa indica que aproximadamente 40% dos empresários com registro legal na cidade de São Paulo participam da busca das linhas de crédito para aumentar o capital de giro das próprias empresas, fato que representa cenário crítico no que tange às ofertas que se direcionam de modo exclusivo às empresas.

Publicidade
Publicidade

Há de se saber que o crédito às pessoas físicas e ativas agrega incidência maior em termos de juros.

Não se pode ignorar o fato de que o aumento na busca das linhas de crédito também se relaciona com o crescimento dos dirigentes que não possuem informações ou não conseguem acessar os serviços das instituições financeiras reservadas para suprimir demandas das pequenas empresas.

Mais dados da pesquisa

Entre os entrevistados da pesquisa, 42% referente encontram dificuldades em obter empréstimo, quantia que se encontra superior em 5% ao comprar com os índices de registro no mês de novembro.

Por outro lado, 38% não encontram dificuldades no sentido de solicitar empréstimo às empresas que possuem menores taxas de juros; 23% acham facilidade e 15% consideram o nível moderado em termos de dificuldade.

Publicidade

A pesquisa indica que ao comparar os valores gerais entre os meses de novembro de 2013 e janeiro do ano de 2014, as quantias estão estáveis. De qualquer maneira, o número tem perspectiva positiva no mês de janeiro de 2014, ao levar em conta a queda de 3 pontos percentuais quando se compara com o quadro do registro de novembro de 2013.

Empreendimentos que nestes meses conseguiram liquidar as dívidas, contribuíramde forma direta para a queda dos pontos percentuais das empresas endividadas na cidade de São Paulo. Entre as industriais, os números caíram de 24% para 19%, respectivamente. #Negócios #Finança