Segundo informações divulgadas pelo ‘International Consortium of Investigative Journalism’ ou ‘Consórcio Internacional de Jornalismo Investigativo’, foram listadas de 6.600 contas bancárias abertas no Banco HSBC, na Suíça, aproximadamente 4.800 mil dessas contas são de cidadãos brasileiros. A investigação realizada pela Receita Federal, tem o objetivo de verificar uma suposta movimentação financeira vinculada a fraude fiscal.

As contas foram abertas entre os anos de 1988 e 2006, chegando a um saldo de US$ 7 bilhões entre os anos de 2006 e 2007. Diante dos fatos, a Receita passou a investigar tais transações com indícios de fraude e lavagem de dinheiro.

Publicidade
Publicidade

Informações ao Fisco foram confirmadas depois que o mesmo teve acesso a uma lista com o nome dos correntistas que mantinham relacionamento financeiro com o banco estrangeiro.

Diante das informações levantadas e de sua unidade de inteligência, o fisco brasileiro revelou que em muitos casos existe a incompatibilidade e omissão das informações por parte  de alguns contribuintes, que deixam de prestar contas sobre seus reais rendimentos.

A Receita Federal espera fechar o cerco contra possíveis contribuintes que não declaram seus reais valores através de cooperação internacional, identificando o máximo possível de correntistas relacionados as contas no Banco HSBC na Suíça.

Se realmente forem comprovadas fraudes fiscais, os correntistas brasileiros com movimentação financeira no banco estrangeiro, podem responder ao crime contra a ordem tributária, incidindo autuação e representação fiscais com fins penais.

Publicidade

A Receita Federal já havia investigado alguns contribuintes que estão na lista divulgada pelo Consórcio, mas eles passarão por uma nova investigação.

A Receita Federal está aprofundando as investigações para que realmente identifique e responsabilize estes contribuintes que sonegam contra o sistema financeiro brasileiro, além de serem penalizados nos possíveis casos de lavagem de dinheiro. O resultado da operação deve sair ainda no próximo mês. 

#Negócios #Finança