Esta semana, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) decidiu autorizar o funcionamento da usina termelétrica de Uruguaiana, no Estado do Rio Grande do Sul, de acordo com o AES Brasil, concessionária do empreendimento. 

A medida foi tomada por causa do agravamento do balanço entre oferta e demanda de energia elétrica no sistema, causado principalmente pela falta de água nos reservatórios das hidrelétricas e também pela ausência de investimentos significativos no setor. 

A retomada da produção da usina foi autorizada pelo ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, que na ocasião assinou uma portaria que reconhece, de forma excepcional e temporária, a necessidade de aumentar a geração de energia elétrica no País. 

Essa medida é uma das alternativas disponíveis pelo governo brasileiro para evitar que problemas como o desabastecimento ocorrido em 19 de janeiro, o qual afetou o Distrito Federal e mais 10 Estados, não volte a acontecer.


Operação complexa - a AES Uruguaiana é a primeira usina brasileira movida a gás natural em ciclo combinado - sistema que utiliza turbina a gás e turbina a vapor.
O empreendimento, que fica na fronteira com a Argentina, costuma ser utilizado pelo governo federal apenas em casos de emergência, devido à complexa logística de fornecimento de combustível - que acaba tornando a operação mais cara que outras fontes de energia.

O gás natural contratado da Argentina para alimentar a usina precisa ser transportado de navio até um porto do país vizinho. A partir deste ponto, ele segue por uma malha de gasodutos argentinos até a termelétrica em Uruguaiana. 

Ao todo, a usina vai funcionar por 60 dias. Primeiramente, apenas uma turbina entrará em funcionamento, mas a previsão é a de que logo em seguida a segunda seja ligada. Cada turbina é capaz de gerar 250 megawatts (MW) médios e seu funcionamento consome 1,2 milhão de metros cúbicos de gás por dia.

Este será o terceiro ano seguido que a AES Uruguaiana precisou ser acionada. Em 2013 sua operação produziu 240 MW médios, e no ano seguinte, 490 MW foram produzidos.  #Crise

Inaugurada em 2000, a usina tem capacidade instalada de 640 MW, o que dá para abastecer mais de dois milhões de residências. Entretanto, desde 2009, a unidade parou de funcionar devido à suspensão do gás fornecido por uma empresa argentina.