Foram muitas as pessoas que pediram um ano de 2015 melhor. Mas as notícias que chegam, diretamente da BTIG Research, podem deixar qualquer um, que tinha algum dinheiro guardado e pensava em aplicar, bastante preocupado. Principalmente porque a BTIG Research é uma empresa altamente especializada em serviços de comercio, de fundos globais e fundos mútuos, que oferece produtos e serviços em mercados globais.

Na semana passada, os seus analistas deixaram de sobreaviso aplicadores de todo o mundo, ao anunciar que: "O primeiro trimestre de 2015, em termos de finanças internacionais e aplicações, é o pior nos últimos seis anos".

Publicidade
Publicidade

Desde que os primeiros raios de sol vieram a luz em 2015, uma equipe de analistas do mercado considera que o ano irá terminar de modo cruel para os investidores, principalmente, devido à graves problemas nos setores energéticos.

Ainda na semana, Dan Greenhaus afirmou que a expectativa é de um declínio de 6% em relação ao ano passado. "Será o primeiro quarto negativo desde 2012 e o pior desde 2009", disse. Na queda do preço do petróleo e no fortalecimento da moeda norte-americana estão, segundo estes analistas, as razões para tal fato. O que é bom para os americanos não é necessariamente bom para o resto do mundo. É preciso que a grande potência tenha uma recaída e seja pressionada pelos congressistas a assumir, mais uma vez, o papel de salvadora da humanidade. A baixa do combustível é boa para as transportadoras e os preços de alguns itens pode baixar.

Publicidade

Apesar de todos estarem tomando cuidado com estas declarações, muita coisa ainda pode mudar, pois, estamos apenas no final do primeiro quadrimestre. E, na atualidade, as previsões são apenas isto, previsões. Elas podem não serem cumpridas e todos vão poder voltar a sorrir. Mas quando o capital sorri, geralmente, em algum lugar, acontecem graves problemas sociais. O ganho de muitas empresas pode estar sendo conseguido à custa do sacrifício de outras pessoas.

Resta esperar para ver o que irá acontecer até o final do ano. #Finança