A Receita Federal investiga uma empresa de Jundiaí/SP que pagava aos investidores rendimentos dez vezes maiores do que os da caderneta de poupança. Muitos clientes que aplicaram o dinheiro por vários anos, fizeram boletim de ocorrência na Delegacia de Jundiaí. Eles alegaram ao delegado que foram retirar o valor aplicado e não encontraram os responsáveis.

A Polícia Civil da cidade ouviu os envolvidos, inclusive os representantes da empresa. O grupo pode responder por crime contra o sistema financeiro. O delegado responsável pelo caso abriu inquérito e enviou a Receita Federal.

Ainda não se sabe o número exato de pessoas que aplicavam dinheiro nessa empresa, mas acredita-se que esse grupo movimentava milhões de reais.

Publicidade
Publicidade

Uma das pessoas que se sentem vítimas do grupo é o aposentado José Paulo de Sousa, o dinheiro dele estava na conta Poupança de uma agência bancária. Convidado pela filha que há anos investia no grupo, ele retirou cinco mil reais da conta e depositou no Grupo Moreira RDA. Um ano depois, o aposentado e a filha aguardam o resultado das investigações para pegar o dinheiro de volta.

As exigências para depositar o dinheiro no grupo eram mínimas. Bastava apenas levar documentos pessoais, número da conta corrente e pelo menos mil reais para fazer o depósito. O escritório funcionava em um condomínio de luxo na entrada da cidade. Quando o cliente tinha o interesse em fazer o saque, o pedido tinha que ser feito por pelo menos trinta dias de antecedência. O grupo mantinha um estacionamento de carros importados em uma das principais avenidas da cidade.

Publicidade

O delegado titular da Receita Federal de Jundiaí, Antônio Roberto Martins, disse por telefone que está investigando o caso, mas que não pode informar se os bens dos administradores do grupo, assim como a movimentação financeira foram bloqueados. Ele disse também que a investigação não tem um prazo para ser encerrada. #Negócios #Justiça

No site oficial da empresa, o Grupo Moreira RDA informou que está impossibilitado de fazer pagamentos de qualquer quantia e que também está sem previsão de data para fazer o depósito. Os clientes vão ter que esperar a conclusão das ações dos órgãos responsáveis pela investigação. A nota procura tranquilizar os clientes dizendo que não existirá nenhum tipo de golpe e que todos os responsáveis ficaram na cidade até o processo ser finalizado.