A Caixa Econômica Federal, que detém cerca de 70% dos financiamentos de imóveis do país, anuncia novamente mudanças no sistema de financiamento. As novas restrições foram informadas na quarta-feira (6), à Câmara Brasileira da Indústria Imobiliária - CIB, pelo banco, segundo informações da Folha. As novas restrições surgem por conta da perda de recursos da poupança no primeiro trimestre, calculada em 7 bilhões. Esses recursos de poupança são os que financiam a habitação - a poupança é a principal fonte. 

Com a concessão de financiamento do Sistema Financeiro de Habitação revista, a CEF passa a financiar somente 50% de imóveis usados - até então estava em 80%.

Publicidade
Publicidade

Já o financiamento do Sistema de Financiamento Imobiliário passa a financiar apenas 40% (antes era 70%). O banco cumprirá com os contratos em andamento, que são os empréstimos que as construtoras já contrataram, bem como alguma eventual promessa de financiamento aos clientes dos referidos empreendimentos. A Caixa ainda informou que com os recursos já existentes pretende financiar clientes que têm um histórico de relacionamento com o banco. Os demais projetos que aguardavam por financiamento com os recursos da poupança, serão suspensos. A Folha ainda apurou que em São Paulo duas construtoras já tiveram financiamentos, que estavam praticamente acertados, suspensos. 

Portanto, quem pensa em financiar um imóvel usado o momento não é o mais adequado, pois as resoluções da Caixa representam, na prática que o cliente tem que ter metade do valor que pretende comprar, o que, em determinada faixa de renda, é difícil.

Publicidade

Quem conseguia financiar um imóvel tendo 20% de seu valor, terá que, segundo as novas regras, economizar mais e juntar mais que o dobro do que já tem. Isso impactará em muitas coisas, como no aumento da demanda por aluguéis, o que causará um aumento nos preços dos mesmo, contrário ao que acontece com a renda dos brasileiros, que está em queda.

Já os programas de habitação popular, que são financiados com recursos do FGTS, não sofreram alterações, o único agravante é, como já foi dito, a queda da renda média mensal do povo brasileiro.

Para quem tinha um dinheiro reservado com a finalidade de entrada para o financiamento de um imóvel usado, a dica é que faça uma pesquisa ou que com a ajuda de um profissional de finanças, encontra a melhor forma de aplicá-lo e o deixe lá, rendendo, até que os ventos mudem e mudem os financiamentos, para melhor.

Segundo o UOL publicou nesta segunda-feira (11), o BB e os bancos privados continuam financiando 80% do imóvel.  #Negócios #Governo #Finança