A Fiat acaba de revelar, na Europa, o sedã que substitui o Linea e que, em breve, deve ser nacionalizado, marcando uma ofensiva da marca no segmento hoje dominado pela dupla japonesa formada por Toyota Corolla e Honda Civic.

Apesar de surgir com a denominação Aegea, o modelo não manterá este nome, quando for lançado comercialmente, no último trimestre deste ano. "Por enquanto, mantemos o codinome de projeto, uma referência ao Mar Egeu, que separa a Europa do Oriente Médio, mas vamos rebatizá-lo", disse uma fonte da subsidiária turca, onde ele será produzido, ao jornal "Automotive News Europe". A versão definitiva sairá da fábrica de Bursa, onde a montadora italiana mantém uma joint-venture com a Tofas, e sua estreia oficial acontece no Salão de Genebra de 2016, em março.

Publicidade
Publicidade

Como o leitor pode ver, ainda há muito tempo para especulações, mas uma coisa é certa: o novo sedã é montado sobre a mesma plataforma (Small Wide LWB) do Jeep Renegade. Isso, por si só, credencia o 'Aegea' - seja lá com que nome - a ganhar nacionalizada brasileira. O modelo é 6 cm menor e 2 cm mais baixo que o Linea, mas leva vantagem na largura (+5 cm) e na distância entre-eixos (+4 cm). A promessa é de boas acomodações para cinco adultos e seu porta-malas tem capacidade volumétrica de 510 litros, 10 l maior que o do três volumes de hoje.

No Leste Europeu, seu maior adversário será o Peugeot 301, enquanto, no lado rico do Velho Continente, é a versão hatchback, a sucessora do Bravo, terá a difícil missão de fazer frente ao Golf, da Volkswagen. Curiosamente, a Fiat já confirmou o lançamento de uma terceira variante, que pode, aparentemente, ir na contramão da moda do utilitários-esportivos (SUVs) compactos: uma perua, que vai concorrer na mesma faixa de mercado do extinto Stilo Multiwagon.

Publicidade

Todos três modelos serão feitos na Turquia, de onde serão exportados para 40 mercados da Europa, Oriente Médio e África.

Lá, já foram confirmadas quatro motorizações, duas Multijet II e duas movidas a gasolina, com potências entre 95 cv e 120 cv, que poderão ser combinadas a um câmbio manual ou a uma transmissão automática. A Fiat declarou, em seu comunicado oficial, que a mais eficiente dessas versões, turbodiesel, terá autonomia de até 25 km/l. Já por dentro, destaque para o sistema multimídia Uconnect com tela sensível ao toque de 5 polegadas, interface Bluetooth com streaming de áudio e leitor de mensagens de texto, navegador por satélite (GPS) embarcado e câmera de ré, entre outras funções.

Sem dúvida, uma ótima opção para a Fiat brasileira reforçar sua presença, entre os sedãs médios. #Automobilismo #Inovação