A Honda tem, no Brasil, um prestígio que não experimenta em nenhum outro lugar do mundo. Considerada uma marca "Mid-Fi", nos Estados Unidos, Europa e Japão, ela é um sonho para muitos consumidores tupiniquins. Prova disso é que o recém-lançado HR-V precisou de apenas um mês "cheio" de vendas para pulverizar a liderança cativa do EcoSport. Só em abril, o utilitário-esportivo (SUV) produzido em Sumaré (SP) emplacou quase 5.000 unidades, de acordo com dado do Sindicado da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Conquistou uma participação de 21% do total da categoria, enquanto o Ford amargou queda de 10,5%.

O ex-líder da classe sentiu a pressão vinda de todos os lados e com a alta de 8,8% do Duster, no mês passado, já vê até mesmo essa segunda posição ameaçada pelo Renault.

Publicidade
Publicidade

Com 575 unidades licenciadas, em abril, o Jeep Renegade mostrou que tem cacife para ocupar a quarta posição na tabela, não mais do que isso. "Esperamos que este mês e junho não sejam tão ruins", avalia o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan.

Mesmo que as coisas melhorem mais para o Renegade do que para a concorrência, ele bateria na casa de 2.400 unidades mensais - hoje, EcoSport e Duster vêm emplacando mais de 2.800 mensais. "Abril foi um mês histórico para a Jeep e vamos em busca de nossa meta, que é a liderança entre os SUVs", disse o diretor geral da marca para a América Latina, Sérgio Ferreira, revelando otimismo com a ampliação da rede de concessionários da marca, que chegou a 129 revendedores em todo o país.

Publicidade

Se o clima, na Jeep, é de otimismo, na Peugeot a esperança é a última que morre. Com apenas 181 unidades licenciadas no mês passado, o 2008 não conseguiu sobressair diante da concorrência. Pelo contrário, o jipinho da marca do leão foi eclipsado pelas novidades da Honda e da Jeep. Vendeu menos que o Troller T4 o Freemont, da Fiat - este que foi deixado de lado com a chegada do primo mais jovem, o Renegade. "Esperamos vender 1.000 unidades mensais", projetava o diretor de marketing, Frederico Battaglia, no lançamento do utilitário-esportivo, em abril. Com muita sorte, o número de abril chegará a 500 modelos mensais.

De qualquer forma, a participação dos SUVs no mercado brasileiro cresceu 0,9 ponto percentual, neste ano, subindo de 10,5%, em 2014, para 11,4%. Em relação a março, as vendas da categoria cresceram 10%, mas caíram 1,6% em relação a abril do ano passado. Quem esperava uma explosão comercial, neste nicho, terá que refazer as contas. #Negócios #Automobilismo #Inovação