A palestra "Como se tornar um empreendedor individual", realizada durante a semana de Oportunidades e Empreendedorismo no Departamento de Engenharia Mecânica da Unitau (JUTA), foi ministrada pelo analista de #Negócios do SEBRAE de São José dos Campos/SP, Eduardo de Oliveira Ilário, e teve como objetivo principal ensinar o público sobre o que é ser um empreendedor, mostrando os caminhos para se alcançar o sucesso sendo donos do próprio negócio.

Há alguns anos, o investimento para se conseguir formalizar a própria empresa era muito alto. As despesas, os descontos para funcionários e os gastos com impostos acabavam por desmotivar aqueles que desejavam regulamentar sua atividade.

Publicidade
Publicidade

Pensando nisso, o Governo Federal decidiu criar a figura do microempreendedor individual, que oferece oportunidades para regularizar o microempreendimento oferecendo vários benefícios, porém com algumas limitações.

Eduardo explica que após adquirir o CNPJ e se cadastrar no programa, o empreendedor deve estar ciente de que sua renda anual deve ter um limite. "O faturamento deve ser de no máximo de R$ 60 mil por ano, não podendo ultrapassar esse numero".

O empreendedor individual deve ainda ter apenas uma atividade principal e quinze atividades secundarias, as quais precisam ter correlação com a tarefa principal. Além disso, ele deve possuir apenas um estabelecimento com, no máximo, um funcionário registrado em carteira. "Com uma renda mensal de R$ 5 mil por mês, somado a todos os encargos pagos ao funcionário, a contratação de mais de um colaborador comprometeria o faturamento da empresa", alerta o analista.

Publicidade

Alguns dos negócios permitidos pelo governo são comércios em geral, indústrias e serviços de natureza não intelectual, uma vez que estes empreendimentos não exigem curso de graduação em nível superior.

Os tributos pagos pelo microempreendedor são o INSS no valor de R$39.40, ICMS no valor de R$ 1 e ISS no valor de R$ 5. Além desses encargos, o empreendedor individual tem direito aos seguintes benefícios previstos por lei: salário maternidade, auxilio doença, aposentadoria por invalidez, aposentadoria por idade e pensão por morte.

O comerciante Marco Antônio Amaral destaca que o tema da palestra foi muito pertinente, pois ensinou de maneira bem objetiva como regularizar a própria empresa. "O site é muito confuso. Ele (o palestrante) explicou tudo de uma forma clara. Eu mesmo tive que entrar no site diversas vezes para entender e conseguir fazer meu cadastro", comenta.

Para Ilário, o tema da palestra foi muito importante, e ele espera que o encontro tenha dado suporte àqueles que participaram e encontravam dificuldades para formalizar seu próprio negócio.

Publicidade

O analista de negócios completa dizendo que ficou satisfeito com a participação do publico. "Fiquei muito contente com o número de pessoas que buscaram assistir à palestra, e acredito que foi muito relevante para o evento", finaliza.

A feira de Oportunidades e Empreendedorismo aconteceu entre os dias 12 e 14 de maio e foi uma parceria da Universidade de Taubaté com diversas empresas da região. #Trabalho #Inovação