O Tesouro Direto é um Programa do Tesouro Nacional em parceria com a BMF&F Bovespa, que, através da internet, vende títulos públicos federais para pessoas físicas. É um investimento em que o investidor sabe quanto o seu dinheiro vai render e permite aplicações iniciais a partir de R$ 30. Para investir, a pessoa física deve ter o CPF e uma instituição financeira licenciada.

Investindo no Tesouro Direto, o investidor compra um título que tem a sua própria data de vencimento definida, mas também pode vendê-lo antes do prazo final, o qual oferece uma boa rentabilidade e liquidez diária.

O que é título público?

É o Governo Brasileiro que emite os títulos públicos por intermédio do Tesouro Nacional, com o objetivo de conseguir recursos para financiar a dívida do Brasil.

Publicidade
Publicidade

Realizando a compra de um título público você está emprestando dinheiro para o governo brasileiro e no futuro você receberá o que cedeu, mais os juros sobre o valor total do empréstimo.

O Investimento no Tesouro Direto é seguro e rentável, e ainda ajuda o país no seu desenvolvimento, podendo investir mais em saúde, educação, segurança, transporte, etc.

Confira alguns tipos de títulos públicos:

- LFT (Letras Financeiras do Tesouro): Títulos pós-fixados que são remunerados pela taxa Selic. O pagamento é feito apenas na data de vencimento.

- LTN (Letras do Tesouro Nacional): Títulos pré-fixados têm um valor determinado pelo qual serão resgatados no dia do vencimento. Assim, o investidor sabe, na hora os juros que serão pagos no momento do vencimento.

- NTN-F (Notas do Tesouro Nacional, Série F): Títulos pré-fixados com pagamentos de juros semestrais.

Publicidade

Os pagamentos dos juros são feitos semestralmente e o do principal é feito no vencimento.

- NTN-B (Notas do Tesouro Nacional, Série B): Títulos indexados à inflação, retificados pelo IPCA e acrescentados de uma remuneração pré-fixada. Os pagamentos dos juros são feitos semestralmente e o do principal é feito no vencimento.

Tributação

Existem taxas que são cobradas pelas corretoras. Os rendimentos com títulos do Tesouro Direto são cobrados impostos. O IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) é cobrado somente quando o prazo da aplicação for inferior a 30 dias. Também há ainda uma taxa de custódia da BM&FBovespa de 0,30% ao ano sobre o valor dos títulos, referente aos serviços de guarda dos títulos.

O Imposto de Renda é cobrado da seguinte maneira: I - 22,5% em aplicações com prazo de até 180 dias; II - 20% em aplicações com prazo de 181 dias até 360 dias; III - 17,5% em aplicações com prazo de 361 dias até 720 dias; IV - 15% em aplicações com prazo acima de 720 dias.

Publicidade

É cobrado no vencimento do título, no recebimento de juros semestrais ou na venda antes do vencimento. Os dias são contados a partir da data da compra.

A compra de títulos públicos pode ser realizada todos os dias úteis das 9h às 5h.

Vale a pena?

O Tesouro Direto compensa sim. Os principais benefícios são:

· A liquidez é garantida pelo Tesouro Nacional

· Fantástica opção em relação à rentabilidade

· Taxas de administração baixas

Os títulos públicos são conceituados de baixo risco pelo mercado financeiro. #Negócios #Dicas #Finança