No começo do ano de 2015 a presidente Dilma Rousseff do Partido dos Trabalhadores (#PT) anunciou o reajuste fiscal com medidas econômicas para diversos setores do #Governo e estado. O reajuste fiscal apresentado pelo governo reflete a situação de fragilidade econômica do país que deve passar por ajustes a fim de garantir um equilíbrio econômico. O texto base das leis apresentadas pelo governo foi apresentado em processo polêmico pela câmara dos deputados federais em Brasília no Palácio do Planalto. Nesta semana, o tempo de concessão do benefício auxílio-desemprego será votado em plenária.

Na semana passada em vitória histórica em sua composição de base, o PT derrotou a oposição que pedia alterações no texto-base apresentado pelo governo.

Publicidade
Publicidade

Base aliada do governo Dilma

A formação da base aliada do governo vem demonstrando fragilidade em sua composição na hora da votação de projetos importantes como a lei de terceirização aprovada recentemente. O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) aliado do governo Dilma Rousseff, compôs a votação com o PT e derrubou as medidas provisórias que os partidos de oposição apresentaram na semana passada, o que se espera é que nesta quarta-feira (13) o governo saia vitorioso novamente na votação do auxílio-desemprego.

Como ficará o governo na próxima votação

Para a executiva do partido no Nordeste, Érika Benemond a composição da base do governo é fundamental para a aprovação de leis importantes como a do reajuste fiscal. "Nós tivemos uma vitória importante na semana passada ao vetar todas as emendas apresentadas pela oposição.

Publicidade

O vice-presidente Michel Temer (PMDB) foi o principal articulador político nessa votação e que fez diferença no final. Embora o Partido Democrático do Trabalhador (PDT) tenha votado com unanimidade com a oposição a vitória foi consolidada com os outros partidos aliados do governo.

A vitória apresenta um passo importante na primeira votação do reajuste fiscal. Muitos indagam que o PT está alterando os direitos do trabalhador, mas devemos lembrar que os ajustes fiscais são necessários para garantir o equilíbrio econômico do país. Nesta semana será votada a alteração do período de concessão do seguro-desemprego, outra pauta polêmica que só será decidida na quarta-feira (13). Michel Temer e os articuladores políticos já procuraram o PDT, e os demais deputados federais que votaram contra a proposta do governo.

É complicado falarmos de base que não compõe com o governo na hora da votação. Não podemos falar de traição, porque os partidos defendem suas ideologias políticas e partidárias, mas não podemos aceitar partidos da coligação do governo apresentarem discordância com os projetos anunciados pelo nosso partido.

Publicidade

Vemos uma fragilidade na composição dos partidos aliados relacionada a diversos fatores que vem acontecendo nos últimos meses. Vemos também muitos deputados defendendo interesses particulares e não em prol da sociedade.

O PT jamais aceitaria alterar os direitos dos trabalhadores se estes não fossem necessários. Nenhum benefício será extinto ou excluído da tabela da Previdência Social. O que acontece são os reajustes em políticas públicas voltadas ao trabalhador em programas recentes que demonstram que precisam de reformulações como o auxílio-desemprego, " conclui a diretora de formação política no estado da Paraíba no nordeste brasileiro.