A Toyota tem, no Brasil, um prestígio que não experimenta em nenhum outro país do mundo, mas sua reputação está em xeque. Considerada uma marca popular nos Estados Unidos, Japão e Europa, sua logo representa status para os brasileiros. No ano passado, a J. D. Power do Brasil publicou uma pesquisa que premiou as redes Hyundai-Caoa e Toyota com o título de melhor atendimento ("Sales Satisfaction Index", ou Índice de Satisfação de Venda) do mercado brasileiro.



Bom, que a montadora japonesa sabe comercializar seus veículos já sabemos, mas sua imagem anda assombrada pelo fantasma dos recalls. Em apenas um ano, foram quatro convocações por causa de problemas nos airbags e, agora, o chamado inclui mais de 128 mil unidades de cinco modelos diferentes, produzidas entre 2003 e 2007. 


Em seu comunicado, a Toyota é clara e dá uma ideia da gravidade do problema: os proprietários não devem transportar ninguém no banco do passageiro da frente. De acordo com a montadora, ao ser deflagrada, a bolsa inflável pode lançar "pequenos fragmentos de metal em direção aos ocupantes". O texto do fabricante é ambíguo, mas os proprietários do sedã Corolla (88.711 unidades, produzidas entre 2003 a 2007), da perua Fielder (24.285 unidades, produzidas entre 2004 a 2007), da picape Hilux (10.851 unidades das versões com cabine dupla, produzidas em 2005), dos utilitários-esportivos Hilux SW4 (2.362 unidades, produzidas em 2005) e RAV4 (1.203 unidade, produzidas entre 2003 a 2005) têm motivos de sobra para se preocuparem. 


Sabe por quê? 


Porque, nos Estados Unidos, o problema está relacionado a pelo menos seis mortes


O defeito será resolvido em duas etapas, de uma maneira, no mínimo, curiosa. A primeira começa no dia 25 deste mês, com - pasmem! - a desativação do airbag do passageiro dianteiro. Dois meses depois, no dia 25 de julho, a rede assistencial da Toyota inicia a substituição do deflagrador da bolsa inflável, espera-se que solucionando o problema. O serviço será gratuito - só faltava a marca cobrar por ele - e os proprietários dos modelos incluídos no recall devem agendar sua ida a um concessionário. Maiores informações pelo site da empresa.
#Automobilismo #Dicas