O mercado brasileiro de automóveis segue em queda e se ainda havia esperança de recuperação, ela vai se esvaindo a cada balanço divulgado pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). No mês passado, as vendas de carros de passeio e comerciais leves caíram 3,1%, em relação a abril. Pior, os números de maio ficaram 26,2% abaixo dos registrados no mesmo período de 2014. Neste ano, o setor acumula perdas de 20% e, com o cenário de retração, as demissões seguirão na pauta dos fabricantes.

"Hoje, não há dúvida de que temos um excedente de pessoal e as montadoras vêm esgotando as alternativas para preservação do nível de emprego", disse o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan.

Publicidade
Publicidade

"Nos próximos meses, teremos que vender e produzir mais do que vendemos e produzimos até agora".

Bom, o fato é que a #Crise que atinge o mercado brasileiro já fechou 250 concessionárias em todo o país. "Podemos chegar no final deste ano com o encerramento das atividades de 10% da rede de distribuidores", alerta o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Jr. Só nos últimos 12 meses, as montadoras já demitiram 14 mil trabalhadores.

Na briga das marcas, a Fiat mantém a liderança do mercado de automóveis, em maio, com 18,7% de participação entre carros de passeio e comerciais leves, queda de 0,2 ponto percentual em relação a abril. Motivos para comemorar, mesmo, só BMW e Mercedes-Benz têm: é que, em meio à crise, a estrela de três pontas viu suas vendas crescerem 15,2% só no mês passado, enquanto a arquirrival bávara também ganhou espaço, com alta de 3,7% nos emplacamentos.

Publicidade

O Fiat Palio (+18,4%, em maio) se mantém como modelo mais vendido do país, seguido pelo Chevrolet Onix (-6,5%) e pela picape Strada (-14,5%). No disputado segmento dos utilitários-esportivos (SUVs), o Honda HR-V alcançou uma participação de mais de 20%, no mês passado, deixando o ex-líder da categoria, o Ford EcoSport, a ver navios. O Renault Duster, mesmo com perdas de 13%, segurou a terceira posição, mas está seriamente ameaçado pelo Jeep Renegade, que abocanhou uma fatia de 10% deste nicho, em maio.

Quem já vai tomando ares de mico é o recém-lançado 2008, da Peugeot. No seu primeiro mês cheio de vendas, foram licenciadas apenas 636 unidades do 'crossover', muito menos que as 4.997 unidades do HR-V, garantindo ao leãozinho uma discretíssima décima posição entre os SUVs. #Automobilismo