Principal líder econômico do governo grego até o referendo do dia 05 de julho, quando renunciou ao cargo de ministro das Finanças logo após a histórica vitória no "Não", Yanis Varoufakis explicou os motivos de sua saída do governo e seu plano para a Grécia.

Em entrevista à revista britânica "New Statesman", o economista declarou ter elaborado uma estratégia para o país que se baseava na saída da zona do euro e na adoção de uma nova moeda. Segundo ele, essa posição daria à Grécia condições de negociar um melhor acordo com os credores europeus.

No entanto, após a rejeição da proposta em votação da cúpula do Syriza, partido do Executivo, e a falta de confiança de Alexis Tsipras, primeiro-ministro grego, no plano, a situação de Varoufakis tornou-se difícil de sustentar, restando a ele entregar o cargo.

Publicidade
Publicidade

Na ocasião de sua saída, o ex-ministro havia informado que preferia se abster do cargo para evitar qualquer entrave a um possível acordo.

Diante do último acordo e da ideia exposta por Varoufakis, Stratos Labrinos, membro do partido Gregos Independentes, afirma concordar com o ex-ministro: "Concordo com Varoufakis agora. Ele tinha razão, mas nós não pudemos ver como ele. A única solução a favor da Grécia é sair do Euro". #União Europeia #Crise econômica