Mesmo com as manifestações contra o #Governo em diversas cidades do Brasil, o governo do Dilma Rousseff manteve a proposta de não adiantar em agosto a primeira parcela do décimo terceiro salários para pensionistas e aposentados do INSS.

Embora essa possa ainda não ser a decisão final, caso seja mantida será a primeira vez nos últimos nove anos que o adiantamento não será feito.

No ano passado, Dilma assinou um decreto no dia 4 de agosto, assim o repasse foi autorizado para ser realizado entre os dias 25 de agosto e 5 de setembro, assim os beneficiários receberam o décimo terceiro juntamente com o pagamento do benefício do mês.

Publicidade
Publicidade

Vale lembrar que adiantar o pagamento do décimo terceiro em 50% no mês de agosto não é algo obrigatório, porém o governo adotou essa prática desde 2006.

De acordo com o site Gazeta do Povo, o governo ainda está procurando uma maneira de driblar esse problema e encontrar uma solução para o impasse. O fato é que o cenário econômico não está a favor dos beneficiários e a equipe econômica já reconhece todas as dificuldades para fazer o pagamento.

A decisão final não foi tomada, mas a folha de pagamento do mês de agosto já foi fechada e o décimo terceiro não está incluso nos valores.

Em todos os anos em que houve adiantamento a autorização foi feita por decreto para o Ministério da Previdência Social, mas até agora o documento não foi feito.

Se o decreto sair nos próximos dias ainda é possível que o INSS pague no mês de agosto.

Publicidade

Outra possibilidade é que com o decreto os pagamentos sejam realizados no mês que vem.

 

Aposentados se manifestam contra decisão do governo

 

O Sindnapi, Sindicato Nacional dos Aposentados Pensionistas e Idosos da Força Sindical, entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal questionando a decisão do governo de não adiantar o pagamento do décimo terceiro.

O órgão quer que essa antecipação passe a ser garantida como um dos preceitos fundamentais dos direitos dos beneficiários, assim não seria necessário a autorização por decreto anualmente. #Crise