Nesta terça-feira, dia 11 de agosto, a presidente da república, Dilma Rouseff (PT) esteve presente no lançamento do Programa de Investimento em Energia Elétrica (PIEE), em Brasília. O programa irá injetar R$186 bilhõesnesta área importante para a manutenção de empregos e desenvolvimento do país e tem previsão de término em 2018. O valor será dividido em R$116 bilhões são voltados para obras de infraestrutura em geração de energia elétrica. Já os R$70 bilhões restantes serão direcionados para a transmissão. O setor quer agregar à sua capacidade mais 25 a 31,5 mil megawatts de potência e distribuição (MW).

A presidente destacou em sua fala que o plano terá como efeito ampliar a solidez do sistema de produção de energia elétrica em todo território nacional.

Publicidade
Publicidade

Além disso, ela lamentou que os brasileiros estejam pagando mais caro na conta de luz, mesmo economizando ao máximo e em estações geladas. A alta da energia elétrica em 2015 chegou a 47,95%, pelo IPCA. As informações são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Dilma disse que não houve racionamento em seu governo e que lamenta o aumento na conta de luz. Porém, para ela, foi porque faltava um plano de alimentar o Brasil de forma mais harmônica e, para suprir a necessidade, "tivemos que usar as termelétricas". Hoje, o plano vai buscar nas hidrelétricas uma forma de garantir o barateamento das contas de luz.

"Entre faltar energia e ter energia, é melhor pagar um pouco mais para ter energia", falou. De acordo com Dilma, caso o Brasil não tenha luz, empregos, renda e empresas diversas iriam falir ou parar de produzir.

Publicidade

Otimista e buscando agradar a todos, a presidente falou que as contas reduzirão a partir de agora.

Mais investimentos em luz para todos

Eduardo Braga, ministro de Minas e Energia, também esteve no local. A autoridade citou algumas obras que foram destaque em sua gestão. Uma delass foi a da hidrelétrica Teles Pires, pronta e sendo testada para a o uso, atualmente. Questionado sobre a questão ambiental, ele destacou os investimentos em energias renováveis. Nunes disse que o BNDES financiou entre 2005 e o ano passado 291 parques eólicos. Estes locais irão render 7.500 MW de potência para o país. #PT #Dilma Rousseff #Crise econômica