Mais uma vez, o trabalhador brasileiro vai sentir na pele os efeitos da #Crise econômica. E desta vez, nem aqueles que contribuíram a vida inteira conseguiram escapar. O Governo Federal está buscando alternativas para que seja feito o pagamento do adiantamento do décimo terceiro dos aposentados brasileiros, o que inclui aposentados e pensionistas do INSS. A presidente Dilma Rousseff ainda não decidiu se publicará decreto autorizando o pagamento do benefício. O adiantamento da parcela do décimo terceiro depende de decreto a ser assinado pela Presidente da República.

Desde o ano de 2006, o adiantamento do benefício é pago nos meses de agosto e setembro.

Publicidade
Publicidade

Segundo explicações da equipe econômica do governo, o mesmo não possui dinheiro em caixa suficiente para custear a despesa. E o cenário, segundo ainda o governo, não é favorável. Diante das políticas de ajuste econômico para se adequar à crise, seria a primeira vez, desde 2006 que o benefício deixa de ser pago aos milhares de aposentados e pensionistas no Brasil.

Existe um impasse muito grande quanto ao pagamento deste adiantamento, pois a folha de pagamento do mês de agosto será fechada dia 20. A partir do dia 25 é iniciado o pagamento dos benefícios aos aposentados e pensionistas do INSS. Porém, segundo informações, nada foi decidido e a folha está praticamente encerrada, mais um indicativo que os aposentados irão ficar sem o pagamento deste adiantamento neste ano. Segundo o INSS, o órgão poderia fazer este pagamento, entretanto, desde que o decreto seja assinado logo no início desta semana, principalmente antes do dia 20.

Publicidade

Pela lei dos aposentados, o governo não é obrigado a pagar parte do décimo terceiro salário no meio do ano. Entretanto, após um acordo do mesmo com as entidades representativas dos aposentados  e pensionistas, foi decidido que seria feito este pagamento nos meses de agosto e setembro. Segundo informação divulgada pela Previdência Social, o acordo teria validade até o ano de 2010, porém, o governo optou por estender a antecipação dos recursos como uma maneira de se manter a economia brasileira aquecida.

O fato está sendo motivo de manifestações. As entidades que representam os interesses dos aposentados ameaçam recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para garantir o pagamento desta antecipação. Segundo o líder do PSDB na Câmara, Deputado Carlos Sampaio (SP), a atitude do governo é mais uma contra os direitos dos trabalhadores e aposentados brasileiros. Segundo o mesmo, o Governo já reduziu os direitos do trabalhador brasileiro, postergou o pagamento do PIS de boa parte  e agora quer atrasar o pagamento do adiantamento de metade dos trabalhadores aposentados no Brasil.

Publicidade

Tudo isto ocorre em meio a um cenário de crise, desemprego e inflação alta. Muitos trabalhadores já contavam com este adiantamento e o governo os trata de forma perversa e humilhante. O parlamentar questiona o fato de que falta dinheiro para pagar este adiantamento e não falta dinheiro para financiar o número excessivo de ministérios e os inúmeros cargos de confiança." Mais uma vez, o governo tenta empurrar a crise com a barriga e joga a conta para a população brasileira pagar ", frisou. #Finança #Blasting News Brasil