O presidente-executivo (CEO) do Grupo BMW, Harald Krüger, não "segurou o tchã" e teve um apagão (https://www.youtube.com/watch?v=rsKBzBlojxA) durante a coletiva de imprensa desta manhã, no primeiro dos dois dias reservados à imprensa do Salão do Automóvel de Frankfurt. Tudo corria bem até que o executivo pareceu meio confuso, deu um passo para trás e, simplesmente, desabou no estande da marca bávara. Krüger foi prontamente amparado pela equipa da montadora, mas teve que se retirar - a marca divulgou que ele sofre de problemas circulatórios e não vinha se sentindo bem desde cedo. O mais curioso de toda a cena foi a intervenção do assessor de comunicação Maximilian Schoeberl que, no mais puro estilo "Capachão", pediu para que todos parassem de filmar o colapso do chefe.

Publicidade
Publicidade

"Vocês poderiam interromper seus registros?", solicitou Schoeberl. Obviamente, que o pedido foi ignorado pela audiência.

Bom, enquanto Krüger tomava um copo d'água com açúcar, a BMW confirmou duas novidades para o mercado brasileiro: a primeira é a nacionalização da nova geração do X1 e, a segunda, o início das importações do novíssimo Série 7. A segunda geração do X1 é montada sobre a mesma plataforma dos Mini One e Cooper, e conta conta com tração dianteira - na primeira geração, a tração era traseira. A receita fez com que os puristas torcessem o nariz, mas o que está em jogo aqui não é a satisfação dos clientes e, sim, o aumento da rentabilidade - os acionistas ficaram felicíssimos.

Ao que tudo indica, o novo X1 desembarca no Brasil ainda neste ano, como importado, antes de ganhar o carimbo "made in Brazil" na fábrica catarinense de Araquari.

Publicidade

A BMW confirmou que ele terá motorização bicombustível, quando for tropicalizado.

Já o Série 7 sobressai pela tecnologia, com direito a faróis Laserlight - de laser, isso mesmo! - com alcance de até 600 metros, sistema iDrive com comandos por gestos, recarga por indução (wireless) para smartphones, sistemas de visão noturna (Night Vision) e estacionamento automático (RCP), suspensão pneumática (DDC) com função Executive Drive Pro que antecipa as irregularidades do piso, ajustando o conjunto preventivamente, e direção ativa integral (IAS) com esterçamento para as rodas traseiras, entre outros recursos. A versão 750i é equipada com o motor V8 biturbo de 450 cv, combinado à transmissão automática Steptronic de oito velocidades.

Esta versão acelera de 0 a 100 km/h em 4,4 segundos, alcança a velocidade máxima (limitada eletronicamente) de 250 km/h e traz, se série, a tração integral xDrive. Para quem gostou, vai aí o vídeo oficial de apresentação do sedã executivo (https://www.youtube.com/watch?v=6Viyt2aIOG8), mas é bom preparar o bolso, porque este gigante não deve sair por menos de R$ 700 mil. #Automobilismo #Inovação