Enquanto os preços dos automóveis nacionais não param de subir, alguns importadores estão revendo seus conceitos e aproveitando o momento para baratear suas linhas, de olho em um nicho de mercado em que os modelos “made in Brazil” não têm a menor condição de fazer frente aos estrangeiros.

Enquanto até mesmo os populares, como a versão de entrada do Sandero, da Renault, que viu seu valor básico saltar de R$ 29.890 para R$ 37.770, estão pelo olho da cara, Kia e Volvo apresentam novidades que andam na contramão dessa tendência.

No início de julho, a marca sul-coreana iniciou as vendas do Picanto 2016. O modelo, levemente reestilizado, partia de R$ 46.900, mas agora, dois meses depois, ele ganha um opção mais em conta, de R$ 39.990.

Publicidade
Publicidade

Obviamente que o modelo barateado é menos equipado e, para fechar a conta, a Caoa – importador oficial – trocou a transmissão automática de quarto velocidades pelo câmbio manual de cinco marchas. A boa notícia é que, fora isso, ele preservou todo o conteúdo.

O Picantinho vem equipado com banco do motorista com ajuste de altura do assento, volante regulável em couro, direção com assistência elétrica, trio elétrico (vidros, travas e retrovisores rebativeis), radio com CD, leitor MP3 e entradas auxiliares, além de bolsas infláveis frontais, entre outros itens. Freios ABS também fazem parte do pacote, mas as rodas são de aço estampado – fazer o quê.

A Volvo também entra na dança, com o novo V40 T3 Kinetic, que chega junto com a gama 2016 por R$ 99.950. É verdade que a perua tinha sofrido um aumento maroto – para não dizer safado – de 14%, no início deste ano, mas agora está sendo reposicionada bem próxima do Focus, da Ford.

Publicidade

Seu motor turboalimentado de três cilindros e 153 cv conta com injeção direta e leva o modelo de 0 a 100 km/h em apenas 8,3 s. As funções Start/Stop e Eco+ incrementam a economia em 5% - e olhe que esta versão do V40 é referência em eficiência.

Como todo Volvo é referência, mesmo, em segurança, as nada menos que sete bolsas infláveis se somam os controles eletrônicos de tração e estabilidade (ESP), bem como o City Safety, que aciona os freios da perua automaticamente, no trânsito pesado, evitando engavetamentos e atropelamentos. #Automobilismo #Inovação #Blasting News Brasil