Em um momento de crise na economia, duas empresas de comunicação tentam se unir para passar essa fase e se fortalecerem. Mas pelo menos uma delas pode acabar se dando mal. De acordo com um estudo da LCA Consultores, o SBT pode perder de 30 a 40% de sua publicidade e do dinheiro que vem com ela, caso as programadoras de TV a cabo não aceitem o contrato articulado entre Silvio Santos, RedeTV! e Record. As empresas se unem para cobrar seus sinais digitais para os assinantes da TV paga. O estudo foi feito justamente para provar que a criação do novo custo para os assinantes não seria abusivo. Esse é o argumento das TVs a cabo para não quererem aceitar a cobrança.

Publicidade
Publicidade

Algumas empresas estariam até ameaçando parar de exibir o sinal dos canais, o que seria um prejuízo financeiro sem precedente. 

O estudo do LCA foi divulgado nesta terça-feira, 29, pelo jornalista Daniel Castro. O balanço da consultora não cita valores, mas em 2014 Silvio Santos arrecadou R$ 1,063 bilhão com seu canal de televisão. Se o novo sistema não for aprovado, o 'Grupo Silvio Santos' perderia só na TV uma receita que varia entre R$ 319 milhões e R$ 425 milhões. Os dados são claros e mostram que se o SBT não vender seu sinal para a TV por assinatura ele terá que fechar as portas. O canal que tem sede em São Paulo deixaria então milhares de desempregados em todo o país e o 'Grupo Silvio Santos' se dedicaria à outras plataformas, como a 'Telesena', a volta do 'Baú da Felicidade' e os cosméticos 'Jequiti'.

Publicidade

Criação de empresa criou agitação no mercado da comunicação

Desde junho, os três grupos de comunicação tentam convencer o Cade de sua junção. Caso aprovada a união, caberá a Joint Venture negociar o valor dos sinais de cada televisão no serviço de TV a cabo. Os sócios das três empresas iniciariam os negócios com o mesmo número de ações, ou seja, ninguém teria poder de decisão sozinho, mas ao longo do processo,  quem quiser vender suas ações poderia fazer isso, dando a outro grupo de comunicação o poder majoritário sobre a Joint Venture.  #Desemprego