E a crise econômica que atinge o país continua afetando também as empresas de comunicação. Não teve uma grande empresa de televisão aberta que não tenha anunciado cortes no ano que passou. SBT, Record, RedeTV!, Band e até a #Rede Globo de Televisão. Mais uma afiliada vinculada à companhia midiática da família Marinho anunciou cortes. Dessa vez, as baixas aconteceram na Rede Bahia, localizada em Salvador, na Bahia. O setor do jornalismo mais uma vez foi o escolhido para fazer a economia. A baixa procura de anunciantes locais fizeram a Rede Bahia tomar a decisão.

De acordo com o site Natelinha em reportagem publicada neste sábado, 31, a afiliada decidiu encerrar o vínculo com dos de seus profissionais mais experientes.

Publicidade
Publicidade

Alguns até com mais de duas décadas de trabalhos prestados à televisão local. Uma das demitidas foi a repórter cultural Wanda Chase. Ela é conhecida do público de Salvador por conta do extinto programa 'Rede Bahia Revista'.

Outro que também não ficou com seu emprego duradouro foi Genildo Lawinsky. O jornalista chegou até a ancorar telejornais locais na região. Atualmente, Genildo trabalhava ao vivo diretamente do helicóptero da emissora. O objetivo dele era encontrar flagrantes e também ajudar os telespectadores para saber como estava o andamento do trânsito em período de pico, podendo assim buscar alternativas.

Outros dez funcionários se somam aos dois jornalistas. De acordo com o site Bocão News, as demissões aconteceram em diversas áreas da Rede Bahia. Procurada, a afiliada global confirmou as baixas.

Publicidade

No entanto, não quis dar outras informações e detalhes sobre o porquê da decisão. 

Agora é claro que as baixas na economia se refletiram no setor financeiro da emissora, que é líder na região. Em março deste ano, um dos principais nomes do canal, Jefferson Beltrão, também teve o seu contrato suspenso.

Nesta semana, quem também anunciou cortes foi o SBT. A maior parte das demissões ocorrerá em São Paulo, mas outras regiões, como o Rio de Janeiro, por exemplo, também vão promover as dispensas. #Desemprego #Crise econômica