A Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia Elétrica (Abracell) divulgou uma pesquisa na quinta-feira (1), onde aponta que 88% dos brasileiros acham que o fornecimento de energia está caro ou muito caro. A cada 10 pessoas entrevistadas, seis consideram as tarifas da conta de luz abusivas.

A pesquisa foi encomendada pela Abracell e feita pelo Ibope em todo o país. Foram ouvidas 2.002 pessoas e tem margem de erro de 2 pontos percentuais.

Segundo a pesquisa:

  • 57%  pessoas acham muito cara
  • 31%  pessoas só acham cara
  • 9% falaram que o preço justo
  • 1% acham que está barato

Eduardo Braga, o Ministro de Minas e Energia disse que o resultado é "natural".

Publicidade
Publicidade

O #Governo tem feito "reestruturação" das tarifas. Para suprir as despesas do setor, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) vem autorizando o aumento da conta de luz.

O ministro ainda disse que a "pior tarifa de energia elétrica é não ter energia elétrica" referindo o apagão de 2001. Segundo ele, apesar das dificuldades, o país tem conseguido garantir o fornecimento.

"Nós estamos enfrentando a crise de falta de água nas nossas hidrelétricas, temos enfrentado grandes dificuldades com licenciamentos, sejam ambientais, sejam da Furnas, sejam do Iphan. Mesmo assim, o robusto sistema elétrico brasileiro tem garantido fornecimento de energia para o país", defendeu o Ministro.

As faltas de chuvas prejudicaram o armazenamento nas represas hidrelétricas do país. O Governo manteve ligadas todas as térmicas disponíveis desde o final de 2012.

Publicidade

Como essa energia é mais cara, contribuiu para aumentar as contas de luz dos consumidores.

A medida de ajuste fiscal criado pelo governo federal para reequilibrar  as contas públicas, contribuíram para aumentar as tarifas de luz em 2015. Com isso, o governo decidiu repassar todos os custos para consumidores como programas e ações no setor elétricos, entre eles, o pagamento de indenizações a empresas e subsídio à conta de luz de famílias de baixa renda. O Tesouro, nos anos anteriores, assumiu a parte da fatura, contribuindo para alívio da tarifas altas. #Dilma Rousseff #Crise econômica