A #Corrupção que se instalou na Petrobras deixou grandes danos e foi a própria estatal que anunciou nesta quinta-feira (12) que o prejuízo líquido no terceiro trimestre deste ano foi de R$ 3,759 bilhões. E levando em conta o acumulado dos 9 primeiros meses de 2015, o lucro líquido foi só de R$ 2,102 bilhões, que representa uma queda de 58% se comparado com o mesmo período do ano passado.

A #Petrobras, porém, tenta mostrar ao mercado que o problema da corrupção já foi resolvido e que a estatal vive uma nova fase. Para isto, a nota emitida pela empresa informou que o prejuízo é retrato da desvalorização cambial, o que promoveu um aumento nas despesas financeiras líquidas e que também seria por causa das altas despesas com os juros.

Publicidade
Publicidade

Ainda de acordo com a companhia, o aumento nas despesas financeiras por causa da perda cambial registrou um aumento de R$ 5,396 bilhões.

Este resultado, que compreende o período de julho e setembro, mostra uma grande piora em comparação ao trimestre anterior, onde a empresa garantiu um lucro líquido superior a R$ 530 milhões e no primeiro trimestre deste ano o lucro foi de R$ 5,33 bilhões.

A companhia apresentou alguns dados mostrando que este prejuízo referente ao terceiro trimestre de 2015 é o 3º pior resultado da estatal desde 1993, ficando atrás somente do quarto trimestre de 2014, onde o prejuízo chegou a R$ 26,6 bilhões e o terceiro trimestre de 2014 que foi de R$ 5,339 bilhões.

E a dívida líquida da companhia já cresceu 43% em apenas 9 meses chegando a R$ 402,3 bilhões no final do mês de setembro.

Publicidade

Em dezembro de 2014 a dívida era de R$ 282 bilhões.

O diretor financeiro da Petrobras, Ivan de Souza Monteiro, informou que esta queda está relacionada com o "plano de venda de ativos" adotado pela empresa e disse ainda que a companhia tem um plano de cortar investimentos, que chega a US$ 15,1 bilhões até o próximo ano e que isto irá dar novo fôlego a estatal.

No Twitter, um dos assuntos mais comentados era justamente este, “Prejuízo da Petrobras”, e os usuários faziam duras críticas aos dados apresentados pela empresa.

#Crise econômica