O Grupo Globo é considerado um dos mais sólidos e estáveis para se trabalhar. No entanto, a crise econômica que atinge o país está também fazendo essa estabilidade ser questionada pelos próprios funcionários da companhia midiática. De acordo com informações do jornalista Daniel Castro, trabalhadores, em especial os do jornalismo, estão em um verdadeiro clima de terror. Tudo começou com a demissão de um dos funcionários mais antigos da GloboNews, o jornalista Sidney Rezende. O profissional da mídia trabalhou em diversos veículos do Grupo Globo e ainda tinha contrato com a GloboNews, mas depois de uma postagem criticando a mídia, ele foi demitido. 

Ao todo, foram 25 anos de serviços prestados, passando pela fundação da rádio CBN, a primeira dedicada apenas às notícias.

Publicidade
Publicidade

Oficialmente, o grupo nega que a demissão tenha ocorrido por represália ao texto "Chega de Notícias Ruins", no qual o profissional criticou a forma como a mídia encarava os feitos do governo, dando mais espaço aos aspectos negativos e fazendo até uma espécie de demonização.

De acordo com uma fonte ouvida por Daniel Castro, os jornalistas do Grupo Globo agora estão com medo de se manifestarem sobre qualquer coisa. Alguns profissionais chamam a atitude da empresa até de terrorismo. Até o momento, nenhum sindicato da categoria se posicionou sobre a demissão de Sidney, nem mesmo o próprio. 

Rezende é o segundo profissional considerado "medalhão" a ser demitido em pouco mais de um mês. Em outubro, quem também se viu sem emprego foi o jornalista Eduardo Grillo, que fez a narração da inauguração da Globo News.

Publicidade

Além dos dois, outros funcionários também foram demitidos da Globo News, dois deles considerados muito importantes. A demissão ocorreu após os famosos plantões, quando os profissionais da mídia precisam trabalhar nos fins de semana. Uma das demitidas foi a produtora Happy Carvalho, que era considera a mais experiente da companhia. Além deles, outras pessoas podem perder seus postos nos próximos dias. Lembrando que neste ano, outras empresas do mesmo ramo também fizeram muitas dispensas.  #Desemprego