Como de costume, todos os dias aparecem novas contas na vida dos brasileiros. E haja dinheiro para pagar todas estas contas, como: aluguel, prestação do carro, colégio das crianças, supermercado, entre outros. Se já não bastasse as contas para pagar, agora verificou-se que a inflação está em alta e nos últimos 12 meses, se acumulou perto dos 10%.

Em um cenário como este, o economista Samy Dana, entrevistado pelo portal Uol, explica o que deve ser feito para você esticar seu salário até o fim do mês e, quem sabe, poupar um pouco mais, equilibrando o seu orçamento.

1. Extermine todas as suas dívidas

''Geralmente as dívidas vêm acompanhadas de juros altos que crescem a cada dia.

Publicidade
Publicidade

O ideal para o endividado é quitar todas as suas dividas o quanto antes e evitar de fazer novas dívidas. Há situações em que devemos cortar na própria carne'', afirma Dana.

2. Eleja um líder que envolva todos

Dana explica que dentro de uma família sempre há um membro mais organizado que os demais. Portanto, este membro deve ser eleito pelos demais para fazer a contabilidade e liderar as despesas do lar. 

3. Defina quais serão os seus objetivos e suas prioridades

Dentro de um lar é preciso que todos os membros de uma mesma família definam juntos quais serão seus objetivos de curto, médio e longo prazo a serem cumpridos. Exemplificando: No curto prazo, fazer um passeio turístico; a médio prazo, reformar a casa, a longo prazo, investir no estudo dos filhos; se aposentar trocar de casa, entre outros.

Publicidade

Estes objetivos comuns devem ser compartilhados entre os membros da família, com o intuito de motivá-los a partir em busca dos seus objetivos.

4. Fazer escolhas

''A nossa vida financeira resume-se a escolhas ou renúncias e praticamente é impossível uma pessoa ter tudo que deseja. A maioria das vezes, isto refere-se a questão de dinheiro, em outras, a questão de tempo. No momento em que os objetivos e as prioridades de uma pessoa ficam claros para si. Fica evidente para ela perceber do que ela poderá abrir mão ou não'', explica o economista.

5. Sempre revise os seus contratos

''Antes da contratação de um serviço, é fundamental que o consumidor faça uma pesquisa de mercado, para descobrir qual o melhor custo-benefício. Mas, no final, o consumidor sempre acaba esquecendo-se desta questão. Em geral, o consumidor brasileiro tem a mania de contratar a prestação de serviços como curiosidade, ou seja, serviços de TV a cabo, serviços de internet, cartões de crédito, entre outros".

"Nestes casos, antes de assinar o contrato, o consumidor deve observar se há cobrança de multa em caso do cancelamento do serviço.

Publicidade

É importante ressaltar este item, pois no fim isso vai gerar uma cobrança a menos na  conta do consumidor'', orienta Dana.

6. Os maus hábitos de consumo

Segundo Dana, a maioria dos brasileiros tem um péssimo hábito de consumo. Para ele, a maioria dos consumidores fazem compras compulsivas e sem muita necessidade, e está na hora do consumidor mudar este hábito. ''Nós consumidores temos que ser mais críticos no consumo. É importante você sempre se perguntar se aquela roupa, acessório ou produto são realmente necessários de acordo com as suas necessidades'', aconselha.

7. Coloque as despesas na ponta do lápis

''Antes de você decidir onde cortar, é preciso averiguar para onde o seu dinheiro está indo. Se você colocar tudo na 'ponta do lápis', conseguirá averiguar melhor as suas despesas. Normalmente, de memória a gente costuma se perder de vez em quando'', conclui Sumy Dana. #Dicas #Curiosidades #Crise econômica