O governo Dilma Rousseff editou a medida provisória 676. Ela foi publicada em 2015 no Diário Oficial da União e criou uma alternativa para a fórmula 85/95, que foi aprovada no Congresso, mas vetada por Dilma. Simplificando, a fórmula 85/95 significa que ao somar o tempo de trabalho mais a sua idade, o resultado deve ser 85 para mulheres e 95 para homens no momento da aposentadoria.

Agora, com as alterações, esse número irá aumentar de maneira progressiva até 2022. Neste ano, o resultado da soma será de 90 para mulheres e 100 para homens, após a conta de anos de contribuição mais a idade. Isso será feito para que a aposentadoria possa ser recebida sem desconto.

Publicidade
Publicidade

O que mudou

O fator previdenciário ainda vale como base para o cálculo do valor. O novo número é apenas uma alternativa para quem teve que se aposentar de forma precoce e usufrui do valor da aposentadoria de forma integral.

Como funciona?

Na prática, o fator 85/95 funciona assim:

Mulher: Com 55 anos e 30 anos de contribuição por se aposentar pelo fator 85/95 (55 + 30 = 85)

Homem: Com 60 anos e 35 de contribuição também pode se aposentar pelo fator (60 + 35 = 95)

Agora, com a nova fórmula, o cálculo para homens:

Com um salário médio de R$ 3.000, com idade de 55 anos, o tempo de contribuição para atingir a soma necessária de 95 é 40. Com 56 anos, o tempo de contribuição necessário é 39. Com 57 anos, a soma é de 38. E assim sucessivamente.

No caso das mulheres, a nova fórmula funciona da seguinte forma:

Também com a média de salário de R$ 3.000, com idade de 50 anos ao se aposentar, o tempo de contribuição para atingir a soma de 85 é de 35.

Publicidade

Aos 51 anos, o tempo de contribuição necessária é 34. Aos 52 anos, o tempo necessário é 33 anos. E assim sucessivamente.

Tempo de contribuição

Ainda há tempo mínimo de contribuição, mesmo com todas as mudanças no processo. Para as mulheres, o tempo mínimo é de 15 anos para se aposentar aos 60 anos. No caso dos homens, para se aposentar com 65 anos. Por tempo de contribuição, deve ser por 30 anos, no mínimo. #Família