Não há nenhuma pedra preciosa que geralmente chame mais a atenção de uma mulher (e de um homem também) do que um diamante. Assim, a empresa Diamond Foundry recebeu o apoio financeiro de 10 bilionários mundiais, entre os quais, do ator norte americano Leonardo DiCaprio. A Diamond Foundry é uma startup localizada na cidade de Santa Barbara, nos EUA, que anuncia conseguir “cultivar” os tão desejados diamantes.

A empresa dos EUA confirma ter finalmente conseguido a fórmula para esta façanha. A técnica consiste no uso de um pequeno pedaço de diamante de verdade, ao invés de pedras artificiais para produzir centenas de outros diamantes com até 9 quilates, tudo isso em somente duas semanas de cultivo no laboratório do grupo.

Publicidade
Publicidade

Em 3 encontros de investidores, a Diamond Foundry incitou o interesse dos participantes, conseguindo arrecadar dinheiro de bilionários de renome nos mais diferentes segmentos da sociedade, tais como: Leonardo DiCaprio (ator), Mark Pincus (fundador da Zynga), Evan Williams (fundador do Twitter/Medium) e Andrew McCollum (cofundador do Facebook) etc. A ideia embrionária estimulou que os ricaços contribuíssem com um pouco mais de 100 milhões de dólares até o momento.

Os norte-americanos estão trabalhando com os designers de jóias, onde os diamantes são negociados para um número superior a 200 profissionais, que utilizam as pedras para brincos, anéis ou colares; vendas essas que ainda se constituem na única fonte de renda do investimento.

Em contrapartida quando não se tem atravessadores nas negociações, é algo aconselhável para os designers, pois existe assim, a possibilidade de diminuição dos custos em toda a cadeia produtiva.

Publicidade

Vale frisar de que pedras sintéticas são mais acessíveis financeiramente falando do que os diamantes verdadeiros, mas a Diamond já se pronunciou dizendo que os seus diamantes terão valor similar ou até maior do que as gemas extraídas da natureza e disponíveis no mercado oficial.

A base de matéria-prima do diamante é o carbono; sendo que, os geólogos defendem a ideia de que as pedras são advindas de milhares de anos de calor e pressão do magma existente na região central da Terra. Assim, a Diamond Foundry se vale de um método análogo ao usar uma lasca de diamante natural como se fosse uma pequena “semente”. Muito embora a empresa não revele como faz isso, a mesma ressalta que a descoberta permite que camadas novas de átomos se fundam às já existentes em um reator que atinge cerca de 8.000 graus Celsius.

As sementes funcionam como verdadeiras matrizes no cultivo dos diamantes artificiais, sendo que até as imperfeições existentes nos diamantes da natureza também se encontram nos fabricados pela Diamond.

Publicidade

A empresa no seu site incorpora o papel de ser uma alternativa ética para o mercado ao afirmar que “a indústria das pedras preciosas conhecidas como diamantes, infelizmente está maculada por abusos aos direitos humanos, destruição da ecologia, trabalho de mão-de-obra infantil, práticas semelhantes a cartéis com origem escusa e desconhecida”.

O ator Leonardo DiCaprio que atuou no filme Diamantes de Sangue faz referência ao tema quando anunciou o seu investimento na startup, ele escreveu no seu Twitter: “me encontro orgulhoso de poder investir na Diamond Foundry, a qual reduz os custos humano e ambiental, cultivando diamantes de maneira sustentável”. #Negócios #Famosos #Curiosidades