Em um dia sem sessão do Banco Central e com pregão curto das bolsas de valores, por conta do feriado de natal, a cotação da moeda americana, fechou nesta quinta-feira, dia 24, num valor de R$ 3,94 para venda. A variação foi negativa, acompanhando uma tendência dos últimos dias, ficando no patamar dos 0,24%. O acumulado da desvalorização semanal ficou em 10%.

O que causou a estabilidade do preço da moeda antes do Natal

Com a aproximação das festas do final de ano, a cotação da moeda apresentou uma certa estabilidade dentro do mercado. As festas do final de ano, principalmente nesta semana antes do Natal, contribuíram para que o volume de negócios fosse bem menor.

Publicidade
Publicidade

Assim, nesta última quarta-feira, dia 23, a moeda teve seu preço reduzido para menos de R$ 3,96.

A subida do dólar e a melhora do mercado financeiro nos últimos dias

Nas últimas semanas, que antecederam as comemorações de final de ano, foi observado um aquecimento do mercado financeiro. Os preços do barril de petróleo voltaram a reagir positivamente no mercado internacional. Isto foi suficiente para o reaquecimento do mercado financeiro mundial, o que refletiu também na elevação da moeda americana.

No Brasil, o preço voltou a subir no começo da semana passada, com valorização de 2%. Entretanto, o Banco Central teve que agir para conter a tendência de elevação da moeda. Além disto, o volume de negócios foi menor, o que obrigou a instituição a promover a oferta de swaps, através de leilões e adiar o vencimento dos contratos para o mês seguinte.

Publicidade

Isto  rendeu cerca de US$ 547 milhões. Apesar disto, segundo os analistas financeiros, a pressão da moeda sobre a economia brasileira não vai recuar, principalmente, no cenário de crise econômica que o Brasil está inserido.

Para a compreensão do panorama geral de variação da moeda, o seu aumento foi de 48% desde janeiro até dezembro deste ano. Somente para este mês, a valorização atingiu uma alta de 1,44%, sendo que o seu avanço nesta última semana, e véspera do feriado de Natal, atingiu a marca dos 0,10%. #Dicas #Finança #Juros