O resultado divulgado pelo #Governo, nesta segunda-feira, 28, mostra que o país poderá terminar o ano de 2015 com um resultado não muito satisfatório nas contas públicas. O Brasil vai amargar neste final de 2015, um prejuízo de cerca de R$ 54 bilhões entre o que se arrecadou e o que se gastou pelo governo.  De acordo com os números divulgados pelo Tesouro Nacional, este é o pior resultado quando considerado um período de apuração desde o ano de 1997.

2015  foi mais um ano em termos de déficit das contas públicas

O resultado das contas do ano de 2014 mostrou um resultado de R$ 6,65 bilhões negativos para a economia brasileira, no mês de novembro.

Publicidade
Publicidade

Este era considerado o pior resultado para este mês. O valor apurado para o mesmo mês, neste ano, mostrou um total de R$ 21,27 bilhões. Portanto, um aumento três vezes maior no rombo das contas do governo, para o mesmo mês no ano passado. Esta variação se deu no intervalo de um ano entre os mesmos. Ate então, o mês de setembro de 2014 era considerado o pior resultado em termos déficit, com um valor de R$ 20,4 bilhões.

A ano de 2015 teve o pior resultado nas contas públicas considerando um intervalo de 18 anos

A análise das contas do governo, quando consideramos um acumulado para um período de 11 meses, mostrou que o ano de 2015 obteve o pior resultado para um intervalo desde 1997. Os números mostraram um rombo de mais de R$ 54,33 bilhões. Este valor conseguiu superar até mesmo o ano de 2014, quando este valor ficou em R$ 18,28 bilhões.

Publicidade

Este resultado consegui ser maior do que foi autorizado pelo Congresso Nacional, ao analisar e votar o orçamento do governo para o ano de 2016. O valor estimado ficou em torno de R$ 51,8 bilhões.

As possíveis causas dos resultados negativos deste ano

A possível causa para os resultados negativos, no saldo das contas públicas, pode ser enumerada como a queda na arrecadação federal para este ano. Isto foi exacerbado pela crise econômica e pelo quadro recessivo que diminuiu o poder do governo de arrecadar mais impostos. Possivelmente, o fechamento de algumas empresas, pode ter contribuído para a diminuição das receitas do governo. 

O rombo poderá ainda ser maior, caso o governo opte por pagar as chamadas 'pedaladas fiscais', que totalizam cerca de R$ 57 bilhões. Deste modo, o prejuízo poderá subir para R$ 119 bilhões.

Espera-se que este mês de dezembro possa apresentar algum tipo de superávit, como é o costume. Caso o BNDES pague os dividendos ao governo, no valor de R$ 4,8 bilhões e este possa resgatar cerca de R$ 855 milhões de fundos de investimento, a situação de deficiência das contas poderá ser revertida. #PT #Finança