Estará disponível para consulta no site da Receita Federal, ainda essa semana, os lotes de restituição de imposto de renda 2015, sendo que esse será o sétimo e último lote de restituições.

É muito importante fazer essa última consulta, pois se a sua restituição não estiver nesse último lote, sua declaração, infelizmente e automaticamente, caiu na malha fina.

Data de pagamento de Restituições

A data de pagamento das restituições será feita no dia 15 de dezembro. O site para consulta é o da Receita Federal, agora se você tiver dificuldade em acesso à internet, saiba que esse não é a unica forma de consulta, você também poderá fazer a sua consulta por telefone, discando 146 e escolhendo a “opção 3”.

Publicidade
Publicidade

Além das duas formas descritas acima, a consulta também poderá ser feita por meio do aplicativo da Receita para quem possuir smartphone.

Mas o que é malha fina?

Você que nunca caiu na malha fina, entenda que esse é um termo utilizado pela maioria das pessoas para definir que a declaração do contribuinte está retida no banco de dados da Receita Federal por motivo de inconsistências no fornecimento de informações.

Para se ter uma ideia da quantidade de contribuintes que caem na malha fina, somente no ano passado, 937,9 mil contribuintes, ou seja, quase um milhão de contribuintes brasileiros tiveram suas declarações retidas.

Por qual motivo uma declaração cai na malha fina

A principal alegação do fisco pela tamanha quantidade de contribuintes caírem na malha fina é omissão de rendimentos, sendo que somente no ano passado esse motivo representou 52% do total de contribuições que caíram na malha fina.

Publicidade

Outros motivos como erro no fornecimento de dados e inconsistências de informações também são capazes de fazer com que as declarações fiquem retidas.

Para se ter uma ideia, esse ano a Receita Federal recebeu 27,8 milhões de declarações, sendo que os contribuintes que receberão restituição nesse último lote terão seus valores corrigidos pela taxa básica de juros, que atualmente está em 14,25% ao ano. #Governo #Finança #Imposto de Renda