A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) divulgou, no início deste mês, os dados a respeito do número de linhas de telefonia celular no Brasil. De acordo com a agência, no período entre maio e outubro deste ano, houve uma redução no número de linhas habilitadas para celulares no país. Em termos percentuais, isto represente uma queda de 4%, o que corresponde a menos 10 milhões de linhas de telefonia móvel que deixam de ser utilizadas. 

Na opinião do presidente da Federação Brasileira de Telecomunicações (Febratel), Eduardo Levy, algumas causas podem ser apontadas. Dentre elas, a crise econômica poderia ser apontada em primeiro lugar, assim como o aumento dos encargos que devem ser pagos pelas operadoras, principalmente, para se manter as linhas.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, a redução progressiva das tarifas de ligações para outra operadoras, concorre também para tal fato, pois os usuários não precisarão mais ter dois ou mais chips, para realizar ligações, aproveitando as tarifas de cada operadora.

O sucesso do WhatsApp com o  usuário de telefonia móvel pré-paga

A redução de usuários de telefonia celular, de 284 milhões para 274 milhões neste ano, foi puxado pelos consumidores de linhas pré-pagas. O uso de aplicativos de dados, que também contam como acesso de rede de telefonia celular, contribuiu para esta redução. O uso do #WhatsApp caiu no gosto do usuário pré-pago. A sua utilização facilita a comunicação, com qualquer pessoa, que possua um chip de qualquer operadora, sem que o consumidor seja obrigado a pagar a mais por isto. Além disto, seu uso evita que se pague a tarifa de conexão entre operadoras diferentes. 

De acordo com Bernardo Winik, diretor do setor de varejo da Oi, a tendência do consumidor em abandonar o uso de uma  segunda ou terceira linha, não representa algo ruim para as operadoras de celulares.

Publicidade

O executivo chama isto de consolidação de chips. Segundo ele, é uma tendência que vem tomando corpo nos últimos anos. Com a oferta dos planos de dados, inclusive, com o uso de aplicativos, será natural que o usuário abandone o uso de mais de uma linha.

Se antes gastava-se um determinado valor com vários chips, atualmente, esta despesa deverá ser concentrada em um só. Aliado a esta tendência, temos a obrigatoriedade imposta pela Anatel, de redução das tarifas até o ano de 2019, nas ligações entre operadoras diferentes. Isto tudo contribui para a redução de linhas de celulares no Brasil. #Crise econômica