Com a taxa de desemprego em alta e baixa na economia, a Serasa divulgou na manhã dessa segunda-feira (21) um dado alarmante: o ano de 2016 começou com 59 milhões de brasileiros inadimplentes.

Segundo levantamento da Serasa, o total de dívidas dos brasileiros ultrapassa a casa dos 250 bilhões de reais. Em 2015, o número de inadimplentes era de 54 milhões. Se comparado a esse ano, o aumento foi de mais de 10%.

Em uma pesquisa realizada em novembro de 2015, foram ouvidas 8288 pessoas. Dos entrevistados, 26% apontaram que a principal causa do aumento dos inadimplentes é devido à alta onda de #Desemprego.

Dentre os mesmos entrevistados, 17% afirmaram que a inadimplência é causada pelo descontrole financeiro.

Publicidade
Publicidade

Cerca de 7% afirmaram que o esquecimento de pagar as contas também influencia esse número e 7% alegaram que estão inadimplentes por ter emprestado o nome a terceiros. Outros 7% disseram que estão inadimplentes por priorizarem outras necessidades, tais como educação, saúde e despesas extras.

Uma recente pesquisa feita pelo IBGE mostrou que a taxa de desemprego subiu 9% no último trimestre de 2015. Esse foi o maior aumento registrado desde 2012. No segundo trimestre de 2015, a taxa era de 8,6% e no terceiro apontava para o valor de 6,6%.

Segundo economistas, a taxa de inadimplentes também está relacionada ao aumento da inflação e das taxas de juros. De acordo com Luiz Rabi, a inflação alta corrói a renda e o desemprego a destrói.

A dica para os que continuam empregados é ter cautela em relação a dívidas e manter sempre uma reserva financeira para eventuais necessidades.

Publicidade

Aos que estão desempregados, a dica é sempre manter a calma e não entrar em desespero. O correto é procurar os credores para uma possível renegociação e aumento do prazo para quitação do débito. Se possível, desfazer-se de bens que geram despesas, como por exemplo, o carro.

O serviço do 'Consumidor Positivo', oferecido pela Boa Vista Serviços, possui um serviço de consulta ao nome de forma gratuita. Além disso, ao informar seus dados, se houver alguma inadimplência, você poderá renegociá-las de forma simples e pela internet, enviando a proposta para o credor se ele também fizer parte do programa. Basta acessar www.consumidorpositivo.com.br. #Crise econômica #Crise no Brasil