A tarifa extra de energia elétrica pode ser zerada este ano. O plano é que com o cronograma traçado por Dilma, mudem as cores das bandeiras tarifárias das contas de luz, começando em março, o #Governo que trocar a cor da bandeira do vermelho para o amarelo. Já em maio, a bandeira tarifária passaria para verde, indo de encontro à intenção de baratear o custo de energia no país, sem trazer despesas extras para o consumidor.

Avaliando a bandeira vermelha, que é a utilizada desde que o sistema de bandeiras tarifárias foi criado,  em janeiro de 2015, até chegar na bandeira verde, que o governo pretende botar em vigor no mês de maio, o percentual de diminuição na conta de luz é de 10%.

Publicidade
Publicidade

Como o uso de Usinas Térmicas são mais caras, foi criado esse sistema de bandeiras tarifárias que determinam todo mês uma taxa extra para recompensar esse custo. Tendo em vista para que a cor da bandeira mude para amarela, as usinas térmicas que estão operando não pode ultrapassar  um custo de mais de R$ 422 por MWh.

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) declara que com os volumes de chuvas que estão caindo nos últimos dias no país, os reservatórios já estão com capacidade suficiente para que várias usinas térmicas sejam desligadas. Para isso a equipe da presidente #Dilma Rousseff vai definir já para o mês de fevereiro que mais usinas térmicas sejam desligadas, isso para que o calendário seja cumprido. A meta é não ter nenhuma usina térmica custando acima de R$ 400 por mega-watt-hora sendo utilizada a partir de fevereiro.

Publicidade

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) é quem decidirá o desligamento das usinas, que será decidido em  uma reunião no dia três de fevereiro.

Tudo funcionará dessa forma: a bandeira passará para amarela diminuindo 3% na conta de luz, contando também com os já 3% garantidos para o mês de fevereiro; a chamada "bandeira rosa" será quando a bandeira vermelha passará do patamar dois para o patamar um, no mês que vem. Já para se chegar na bandeira verde, as tsinas térmicas que estão operando deverão custar menos d R$211 por MWh.

A equipe da presidente Dilma Rousseff teve que convencê-la de que o cronograma tem que ser seguido espaçadamente, já que a presidente queria que a bandeira vermelha já saísse para amarela em fevereiro, mas segundo os assessores da presidente, é necessário que os reservatórios, principalmente da região Norte, estejam recuperados, para então poder desligar mais usinas e assim alcançar seus objetivos.