Foi publicado nesta segunda-feira, dia 18, um Decreto-Lei, assinado pela presidente Dilma Rousseff, que procura estimular o consumo interno de gás e petróleo produzidos internamente. Este incentivo será realizado pelo aumento do número de fornecedores que estão presentes na cadeia produtiva de combustíveis.

O Programa de Dilma para se elevar o consumo interno

Denominado de Programa de Estímulo à Competitividade da Cadeia Produtiva e ao Desenvolvimento e Aprimoramento dos Fornecedores de Petróleo e Gás Natural, cuja sigla se chama de Pedefor, é o mais novo decreto assinado pelo executivo e publicado, no início desta semana, que visa, além de aumentar o número de empresas que participam das diversas fases do beneficiamento do petróleo, elevar o consumo interno de combustíveis no âmbito nacional.

Publicidade
Publicidade

Este programa deverá ter uma coordenação múltipla, que envolve vários representantes de alguns ministérios, principalmente da Casa Civil, da própria Presidência da República, da Agência Nacional que controla a produção de petróleo, de gás natural e dos chamados biocombustíveis, a ANP, além do próprio Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico(BNDES) e da Finep( Financiadora de Estudos e Projetos).

Os fornecedores internos receberão incentivos do governo

A elaboração do programa é direcionado para  empresas que respondem pelo fornecimento interno de gás e petróleo no Brasil. A intenção é aumentar a participação destas empresas no mercado nacional. Para isto, busca-se o aumento na instalação das mesmas dentro do cenário interno e assim uma elevação da competitividade. Isto é benéfico, pois leva à melhoria da qualidade dos produtos e serviços ofertados.

Publicidade

Como se dará a então a participação do governo?

Serão beneficiadas diretamente pelo governo as empresas que buscarem desenvolver consórcios ou que promovam as condições necessárias para que outros fornecedores possam ser instalados no país, assim como as que promovam um investimento direto para viabilizar esta condições, além do investimento em inovações tecnológicas e na aquisição de bens e serviços que priorizem o conhecimento nacional. 

O incentivo do #Governo será no sentido de se priorizar estas empresas pela política brasileira adotada para a melhoria do setor produtivo. Deste modo, o próprio governo espera elevar a produção das mesmas, a um nível acima do que seria praticado quando da adesão ao programa. #Finança #Petrobras