Após conquistar uma vaga na Universidade de Buckingham, no interior da Inglaterra, o jovem inglês Elijah Oyefeso decidiu trocar o valor do crédito estudantil por ações na bolsa de valores de Londres. Em pouco tempo, percebeu que poderia ganhar muito dinheiro. Apenas nove meses após ter iniciado a nova carreira, Oyefeso já ganhava mais do que ganharia com o diploma em mãos. Após 3 anos como investidor diz saber qual a hora certa para vender ou para investir, e afirma já ter perdido cerca de R$ 60 mil em um único dia, valor recuperado com lucro nos dias seguintes.

Como investidor de sucesso, o inglês ostenta com orgulho os bens adquiridos com o dinheiro ganho nos pregões e hoje desfila com seu novo carro, uma Mercedes GTS comprada por cerca de R$ 800 mil.

Publicidade
Publicidade

Mas o êxito e a ostentação constante não agradaram aos vizinhos do antigo bairro, que após muitas críticas fizeram Elijah mudar da zona sul de Londres onde morava.

Com o intuito de ajudar jovens a entender melhor e ganhar dinheiro na bolsa de valores, o investidor criou sua própria empresa de treinamento, que após um período inicial gratuito, cobra cerca de R$ 620 por mês para repassar seu conhecimento.

O inglês relata que nos meses ruins ganha cerca de R$ 180 mil e não fica feliz, usando o "fracasso" como incentivo para trabalhar e ganhar mais. Já nos meses que considera bons, chega a ganhar R$ 470 mil e ressalta o detalhe de trabalhar somente uma hora por dia.

Mas o mercado de ações não é para os amadores e muitas histórias de investidores sem experiência ou levados por falsas informações são comuns no meio, levando a perdas financeiras que podem chegar as economias de uma vida toda de trabalho.

Publicidade

Segundo orientações da BVMF&BOVESPA, o primeiro passo é definir a corretora que será sua representante no mercado e fará a ponte entre o seu investimento e a empresa escolhida. A instituição sugere também que o investidor não "coloque todos os ovos em uma única cesta", dividindo seu investimento entre os vários setores como petróleo, energia, imobiliárias e financeiras. #Curiosidades #Crise #Finança