Novamente o dólar voltou a subir nesta terça-feira (20), ainda sob efeito das movimentações do dia anterior, e chegou a R$ 4,10.  A elevação se deve pela procura dos negociantes pelos rendimentos que oferecem mais segurança, como a moeda americana. O quadro de dúvidas com relação ao valor do petróleo contribui para o atrativo da moeda estrangeira e pela incógnita das novas taxas de juros no Brasil.

Hoje, o dólar se elevou em torno de 1,28% e chegou a R$ 4,1068 para a venda, maior índice desde o dia 29 de setembro do ano passado, quando obteve a cotação máxima de R$ 4,1551.

As altas do dólar nesta quarta-feira (20/01)

9h09: apresentou alta de 0,747% e ficou em R$ 4,0852.

Publicidade
Publicidade

9h19: teve alta de 1,088% e foi a R$ 4,099.

Das 9h29 até às 11h50: obteve elevação de 0,977% e 0,614% e chegou a R$ 4,0945 e R$ 4,0798, respectivamente.

A partir das 12h12: se elevou em 0,7050% e ficou a R$ 4,0835.

Os fatores de risco no mercado internacional continuam e a queda no preço do petróleo se mantém. Não há momentos de calma que não passem, segundo informações passadas à Reuters por Guilherme França Esquelbek, operador da Correparti Corretora.

Preço do Petróleo nos Estados Unidos

O valor do petróleo nos E.U.A obteve o seu menor índice desde o ano de 2003. O seu preço ficou em menos de US$ 28, reflexo das ofertas nos comércios do mundo e pelas fracas procuras, pois o desenvolvimento econômico mundial está em baixa. Em Londres o barril do petróleo foi vendido a um custo médio de US$ 28.

Publicidade

O que também contribuiu para o baixo preço do petróleo foi o retrocesso da commodity que levou junto às bolsas da China e não gerou incentivos para a economia.

O Brasil

O país é afetado pelas dúvidas que envolvem o governo e a economia. Outro fator corrosivo é o temor sobre o arroxo fiscal, e muitos operadores ficam em dúvida se não haverá aumento dos juros pelo Banco Central.

Um operador revelou a Reuters que o aumento dos juros atrai mais recursos do exterior para o país. Para ele rondam as dúvidas diante do panorama socioeconômico, pois não se sabe o que esperar.

No dia 19 houve queda do dólar na parte da manhã, mas neste 20/01 a moeda teve alta e mostrou o seu maior índice pelo período de quatro meses. Os mercados observaram a possibilidade de melhorias na economia da China e a elevação do preço do petróleo. Também se mostraram duvidosos com relação à saúde da economia do nosso país.

O dólar se elevou a 0,51% e foi comercializado a R$ 4,0549, com avanço no ano de 2,70% diante do real. #Crise #Crise econômica