Depois de muita frustração com as negociações por reajustes salariais, um alento: os benefícios recebidos pelos servidores do poder executivo, enfim foram reajustados.

A publicação da portaria com os novos valores dos benefícios foi publicada na quinta feira (14 de janeiro), no Diário Oficial da União (DOU), pelo próprio ministro do Planejamento Valdir Simão. No total foram publicadas três portarias, reajustando cada um dos benefícios aos quais os servidores federais têm direito: saúde, alimentação e creche.

Esses reajustes nos benefícios dos servidores do executivo estavam previstos nos acordos assinados pelas categorias sindicais com o governo, entretanto não passava de uma promessa enquanto não houvesse a devida publicação no DOU.

Publicidade
Publicidade

O que só veio a acontecer meses após o acordo firmado.

As portarias que garantiram os reajustes reafirmam que elas têm efeitos já para o dia 1º de janeiro, ou seja, deverão constar nos contracheques dos servidores no mês de fevereiro.

A correção praticada no reajuste do auxílio saúde foi de 22,62%, corrigido segundo o índice IPCA, levando em consideração os três anos que esteve congelado. Já o auxílio creche foi reajustado para R$ 321 anteriormente o benefício era menos de R$90 e desde a sua criação nunca havia sido reajustado. Por último o auxílio alimentação passou de R$373 para R$458, mesmo recebendo a correção de 22,78% segue entre o menor valor pago se comparado ao dos servidores do Judiciário ou Legislativo.

Segue em tramitação na Câmara dos Deputados a PEC 271/2013, de autoria do deputado federal Augusto de Carvalho e que prevê a isonomia dos valores de benefícios pagos aos servidores entre os poderes.

Neste quesito ainda existe um recurso extraordinário interposto junto ao Supremo Tribunal Federal, no qual a CONDSEF, maior entidade representativa dos servidores do executivo federal se coloca na condição de amicus curiae do processo e aconselha que os servidores não recorram a justiça neste assunto, pois o mesmo já se encontra no âmbito do Supremo aguardando uma posição final dos ministros. 

Portaria N.º 8, reajuste do auxílio saúde;

Portaria N.º 10, reajuste do auxílio creche;

Portaria N.º 11, reajuste do auxílio alimentação. #Finança