A partir desta sexta-feira, 15, os bancos não podem mais estabelecer um limite mínimo para que os seus correntistas consigam fazer transferência de dinheiro por TED (Transferência Eletrônica Disponível). A TED foi criada em 2002 com o objetivo de facilitar o envio de dinheiro entre contas bancárias e já começou com o limite mínimo de R$ 5 milhões.

Nos últimos anos o valor mínimo vinha caindo a medida que os clientes passavam a utilizar cada vez mais a modalidade de transferência de valores entre bancos diferentes. Até ontem (14/01), o usuário precisava transferir no mínimo R$ 250,00 para conseguir utilizar esse tipo de envio de recursos financeiros.

Publicidade
Publicidade

O Documento de Crédito (DOC) é uma alternativa a TED. A diferença é que a transferência por DOC demora mais para ser processada, geralmente só é concluída no dia útil seguinte ao do envio. Já o dinheiro transferido por TED em horário comercial - até às 17h - cai em questão de minutos na conta de destino.

O DOC também tem uma outra limitação: só é possível transferir até R$ 4.999 mil por meio dele. Enquanto que a TED não possui essa restrição. Por isso o DOC está sendo cada vez menos utilizado.

Tarifas

As tarifas bancárias para envio de dinheiro entre as duas modalidades não é diferente nos bancos. Veja abaixo os valores cobrados pelas principais instituições financeiras do país, em ordem decrescente (da tarifa mais cara para a mais barata):

Itaú

DOC ou TED - R$ 15,50 pelo atendimento pessoal / R$ 8,50 pelos canais digitais

Banco do Brasil

DOC ou TED - R$ 15,45 pelo atendimento pessoal / R$ 8,45 pelos canais digitais

Bradesco

DOC ou TED - R$ 15,30 pelo atendimento pessoal / R$ 8,25 pelos canais digitais

Santander

DOC - 14,80 pelo atendimento pessoal / R$ 7,95 pelos canais digitais

Caixa

DOC - R$ 14,70 pelo atendimento pessoal / R$ 7,85 pelos canais digitais

* Lembramos que atendimento pessoal é aquele prestado dentro da agência bancária, geralmente na boca do caixa.

Publicidade

Ele custa quase o dobro do atendimento digital - caixa eletrônico, internet banking ou aplicativo no celular - porque os bancos querem incentivar cada vez a diminuição nas filas em suas agências e reduzir custo com pessoal contratado. #Negócios #Finança