Agora as vendas pela internet ficaram muito mais complicadas para os donos de e-comerce. Até o ano passado quando uma loja vendia um produto pelo site pagava uma guia de ICMS para o seu Estado. Mas as mudanças que implantadas pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) obriga que os lojistas paguem duas guias de ICMS, uma para o seu Estado e outra para o Estado do comprador.

Essa mudança em particular, além de aumentar a burocracria também eleva o valor do imposto pago por pequenas empresas, que são optantes do Simples. Segundo José Augusto Picão, do Conselho Regional de Contabilidade, isso acontece porque essas empresas devem pagar ao Estado de destino o mesmo valor do imposto devido ao seu Estado de origem, ao invés de de dividir o valor entre os Estados.

Publicidade
Publicidade

A alteração criou uma verdadeira confusão na vida dos comerciantes. Agora se uma loja recebe 30 pedidos no dia ao invés de pagar 30 guias de impostos terão que pagar 60 guias.

Falta de informação

Segundo uma pesquisa realizada pela Loja Integrada grande parte das lojas online ainda não se adaptaram à nova legislação. Sendo que 43% dos empresários não fizeram a adequação e 29% não se adaptaram por não conhecerem as novas regras.

Consequências

As novas regras estão causando um verdadeiro alvoroço no comércio online. Muitas empresas online começaram a deixar de vender para outros Estados para não ter que pagar o imposto duplicado e muitas também estão atrasando seus pedidos, talvez na esperança de que o cenário mude em breve.

Segundo o empresário Silvano Spiess, dono da loja O Caneco que vendia cervejas artesanais, a nova lei do ICMS o obrigou a fechar a loja porque ficou inviável o seu trabalho.

Publicidade

Inclusive ele fez um vídeo em janeiro deste ano explicando como tudo isso atrapalhou a vida das empresas. O vídeo já tem mais de 100 mil visualizações.

O que é ICMS

O ICMS é o imposto sobre a circulação de mercadorias e sobre prestação de serviços de transporte interestadual, intermunicipal e de comunicação e é de competência dos Estados e do Distrito Federal.

O contribuinte é qualquer pessoa física ou jurídica que realiza qualquer circulação de mercadoria ou prestações de serviços ditos acima, inclusive se as prestações se iniciarem no exterior. #Governo #Curiosidades #Crise econômica