Não adianta dizer que a gravidez é um momento de tranquilidade para as mães, principalmente em tempos aonde o mosquito Aedes Aegypti e seu Zika Vírus assustam tanto. Mas nem só de mosquitos vivem as preocupações dos futuros papais, ter e criar filhos no Brasil tem ficado cada vez mais caro com a crise econômica.

Uma estratégia antiga e prazerosa nos últimos anos foi embarcar para os #EUA e comprar o enxoval do bebê por bons preços e qualidade, mas a alta do dólar está assustando muitos pais e estratégias mais econômicas estão sendo adotadas, como a escolha por produtos nacionais ou de segunda mão. Entenda porque.

Custos envolvidos na viagem 

  • Emitir o passaporte. Se você ainda não tem o passaporte, precisará solicitar um, que se for emitido em sua cidade, custará em média R$260,00 segundo o site Quantocustaviajar
  • Solicitar e receber o visto americano. O site Quantocustaviajar também informa que além de ter uma taxa de 96% de aprovação do visto, os viajantes ainda precisam pagar uma taxa de acordo com o visto solicitado, que em 2015 começava em US$160,00 (converta na cotação do Dólar de hoje se tiver coragem!)
  • Comprar as passagens. Por causa da alta do Dólar, muitas companhias aéreas e agências de viagens estão fazendo grandes promoções para as passagens aéreas, além da possibilidade de comprar com milhas. Partindo de Guarulhos, as passagens de ida e volta estão custando em média US$250,00 por passageiro, mais taxas.
  • Reservar o hotel ou alugar apartamento. Este é um dos grandes custos da viagem para os Estados Unidos. Dependendo do período de permanência, alugar um apartamento ou aparthotel pode ser mais econômico.
  • Alugar um carro (opcional). É opcional, mas se for fazer as compras nos outlets mais afastados, precisará de um carro para se deslocar e trazer suas compras.
  • Tirar licença para dirigir nos EUA (opcional). Para alugar o carro, é necessário apresentar a licença para dirigir que é uma carta de equivalência à sua carteira de motorista no Brasil.
  • Contratar personal buyer especializada em enxoval para bebês (opcional). Pode parecer bobagem, mas a profissão que ganhou status nos últimos tempos pode poupar tempo e dinheiro levando os viajantes nas melhores lojas para compra.
  • Alimentação. 
  • Seguro viagem para grávidas.
  • Traslados aeroporto/hotel/aeroporto. Os aeroportos dos EUA normalmente não são centrais, por isso será necessário contratar um transfer para levar o enxoval do bebê comprado.
  • Malas extras (opcional). Se a compra for muito grande, novas malas serão necessárias.
  • Excesso de bagagem. Consequência quase natural.
  • Tarifa alfandegária. A desagradável mas prevista em Lei cota de compra pode ser analisada na chegada ao Brasil. Se houverem excessos, uma cobrança salgada pode vir de lembrança para o enxoval do bebê.

Entre todos esses itens, além da compra do enxoval do bebê em si, a maioria é cotada e comprada em Dólar TURISMO, que tem variado na média de R$4,30.

Publicidade
Publicidade

Alguns produtos mesmo com a alta do dólar ainda valem à pena comprar nos Estados Unidos, principalmente os produtos de marcas específicas e de maior valor no orçamento do enxoval, como o caso dos carrinhos de bebês e babás eletrônicas. Para outros produtos de vestuário, a variedade pode atrair bastante, mas muitos produtos que foram comprados fora em outras épocas agora estão praticamente novos e ofertados em brechós de luxo pelas cidades, valendo à pena conferir. É preciso ter cautela na escolha de viajar para fazer as comprinhas do bebê, pois estes são os gastos iniciais de uma vida inteira cheia de custos, como escola, médicos e materiais escolares#Maternidade #Crise no Brasil