Em janeiro de 2015 (considerado período de férias), os brasileiros gastaram aproximadamente US$ 2.239 bilhões (dados do Banco Central - BC). No mesmo período deste ano (2016), o gasto foi de cerca de US$ 840 milhões, o que gera uma queda de receitas de mais de 62% entre os dois anos.

No ano passado já podíamos perceber uma diminuição de gastos com viagens internacionais que já calculava-se em aproximadamente 32% a menos que em 2014. Este ano o número tornou-se ainda maior e de certa forma alarmante. 

Alguns dos motivos prováveis para esta queda drástica nos gastos com viagens internacionais por parte dos brasileiros são:

- DESEMPREGO: De acordo com dados divulgados pela Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em novembro de 2015, o número de desempregados no Brasil havia alcançado o número de 9,1 milhões, um aumento de 41,5% (2,7 milhões) em relação ao mesmo período de 2014.

Publicidade
Publicidade

Trata-se do maior número já registrado pelo instituto desde 2012, quando a pesquisa foi iniciada. Continuamos vendo o número de desempregados subindo dia a dia devido ao fechamento de grandes e pequenas empresas, o menor gasto com muitos setores por parte dos brasileiros, entre diversos outros fatores. Isto tudo influencia na hora de viajar e os brasileiros que não querem se comprometer com dívidas e fazem um planejamento de vida com cautela, percebem que precisam economizar para outros gastos indispensáveis como alimentação, contas gerais de moradia, plano de saúde, transporte, etc.

- ALTA DO DÓLAR: A alta do dólar e a menor renda são uns dos motivos que levaram à redução do déficit das contas externas do Brasil e consequentemente os brasileiros estão viajando menos. A moeda americana chegou a passar dos R$ 4,00 no último ano e esta valorização em relação ao real torna a compra de bens e serviços do exterior mais inviável.

Publicidade

Por outro lado, a alta do dólar acaba favorecendo as exportações. 

- AUMENTO NO CUSTO DE VIAGENS: O preço de viagens tem aumentado bastante e somente desde o começo deste ano, viagens internacionais podem chegar a custar 30% mais caras do que no ano passado. Com o câmbio do dólar mais alto e o câmbio de Euro e outras moedas, como sempre, desfavoráveis para os brasileiros, em tempos de crise, o brasileiro acaba repensando, principalmente, porque, ele não tem nem a certeza de se terá um emprego ainda daqui a alguns meses quando ainda estiver pagando a #Viagem. Além de tudo isto ainda há boatos circulando sobre o tal de imposto que será cobrado a partir de agora sobre as viagens feitas ao exterior. Leia este artigo e entenda melhor como isto funciona e o que é mito e verdade sobre o assunto.

Enquanto as nossas despesas no exterior caíram, as receitas de estrangeiros aqui no Brasil subiram 14,44%, no mesmo período de comparação citado no início do artigo. Estas receitas totalizaram aproximadamente US$ 650 milhões em janeiro deste ano, contra US$ 568 milhões no mesmo período de 2015.

Publicidade

Quer fazer um intercâmbio mas quer encontrar países que tenham um ótimo custo benefício? Leia este artigo e saiba mais. #Turismo #Crise econômica