Os planos do Governo Federal de fechar acordo para que os servidores federais pudessem receber apenas em determinados bancos deu certo e com essa medida ele espera arrecadar R$ 950 milhões já este ano (R$79 milhões por mês), com o depósito dos salários de 1,3 milhão de servidores federais.

A medida será assinada em 5 de fevereiro entre o Ministério do Planejamento e as instituições financeiras, terá validade de 12 meses prorrogáveis por até 60. Diferentemente do que está ocorrendo com os salários dos servidores de alguns estados como Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, onde por falta de verba os governos estaduais tem atrasado ou até parcelado o pagamento de seus servidores, na União a verba para pagamentos do salários é previsto em lei específica atualizada em valores anualmente e que não pode ser usada ou comprometida para qualquer outro fim.

Publicidade
Publicidade

Os bancos que estarão habilitados a estarem efetuando os pagamentos dos servidores federais são: Santander, Sicred, Banrisul, Bancoob, HSBC, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco e Itaú Unibanco. No sistema do Banco Central constam 50 instituições bancárias no país. A "venda da folha de pagamento" dos servidores federais foi anunciada em publicação no Diário Oficial da União no dia 2 de dezembro, quando a União anunciou que faria o leilão da folha.

Como os grandes bancos estão na lista dos que serão habilitados a fazer o pagamento dos servidores federais, a União divulgou no balanço que "apenas" 5.495 servidores federais não recebem por nenhuma dessas 9 instituições. Para esses não haverá jeito, terão que optar por um dos credenciados e comparecer ao RH do órgão para solicitar a alteração de domicílio bancário.

Publicidade

O Ministério do Planejamento informou que essa é uma forma inteligente e interessante de gerir a folha de pagamento dos servidores federais, de forma que ela passa a ser rentável para a União. As instituições bancárias terão que devolver ao governo o aporte de 1,03% do salário líquido de cada remuneração depositada. O Planejamento ainda declarou que esta operação não implica em nenhum desconto no contracheque dos servidores. #Finança