A retração no fluxo de pessoas no varejo físico também é possível de ser observada na diminuição do movimento nos shoppings, que possuem um papel comercial bastante importante para o varejo físico como um todo.

Em recente pesquisa divulgada pelo indicador Iflux, especialmente voltado para o mercado de shoppings, houve uma queda de 2% no fluxo de pessoas presentes nos centros comerciais, em comparação com os dados obtidos em 2015 no mesmo período.

Levando-se em conta o perfil dos shoppings analisados pelo indicador do Ibope Inteligência e da Mais Fluxo, aqueles voltados a um público consumidor detentor de maior poder aquisitivo apresentaram os melhores desempenhos, com índice positivo no fluxo de movimentação na ordem de 2,7% em janeiro de 2016, mas valor inferior aos 8,8% apresentados em janeiro de 2015.

Publicidade
Publicidade

Por outro lado, apesar da queda no fluxo os shoppings venderam, em 2015, 6,5% a mais do que em 2014, faturando um total de R$ 151 bi, e a expectativa da associação do setor é repetir o bom desempenho no ano corrente. #Negócios #Crise econômica