Nesta terça-feira (8) a CEF (Caixa Econômica Federal) fez o anúncio de seus lucros, que foram de R$7,2 bilhões em 2015, um percentual de 0,9%, maior comparado a 2014. A caixa informou novas medidas para a aquisição do crédito de imóveis e aumentará o financiamento de usados e a oferta de crédito para a aquisição do segundo imóvel.

Miriam Belchior (presidente da Caixa) disse que irão aumentar as parcelas de financiamentos dos imóveis utilizados e haverá impulsionamento do setor. Atualmente o banco faz o financiamento de 50% do preço do imóvel usado, mas a porcentagem passará para 70%.

Segundo a presidente da caixa com mais cotas de financiamento, haverá maior procura.

Publicidade
Publicidade

Em 2015 o banco tinha reduzido o limite do financiamento dos usados, de 80% passou para 50%, na época a CEF disse que pretendia se fixar no crédito de habitação, com imóveis novos.

Esse financiamento só abrangerá os imóveis já utilizados e poderão fazer com recursos da poupança. Não entrarão para consentimento do crédito habitacional o programa Minha casa, Minha vida e dinheiro do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

As novas regras de financiamento

De acordo com as novas regras, os subsídios com dinheiro da poupança terão seus limites totais aumentados, de 50% irão para 70%, do preço do imóvel pelo SFH (Sistema Financeiro de Habitação). Para o SFI (Sistema Financeiro Imobiliário) o percentual passará de 40% para 60%, pelo SAC (Sistema de Amortização Constante).

Míriam disse que a CEF vai oferecer novamente o crédito para financiar o segundo imóvel e haverá a possibilidade de se ter o subsídio para dois imóveis simultâneos, havia uma proibição desde 17 de agosto de 2015.

Publicidade

Com essas ações a caixa vai aumentar os contratos para mais 64 mil imóveis, índice de 13%, no comparativo ao anterior. Informou que os melhores resultados de 2015 vieram da inter-relação com os donos das contas-correntes e serviços que tiveram o aumento de 30,7%, os cartões de crédito 12% e conveniados e cobranças 10,1%.

Ocorreu o aumento de 11,9% em um ano em relação à quantidade de clientes e o total foi de R$679,5 bilhões, percentual de 20,9%. O que se destacou foi o crédito da habitação, elevação em 13% a.a., no total de R$384,2 bilhões, atingindo 67,2% do comércio no Brasil.

Os desafios para a CEF

Em 2015 houve desafios para o banco atingindo as atividades e queda no crédito, mesmo assim obtiveram um lucro mais elevado do que o ano de 2014. Esse feito se deu devido à economia que fizeram, através de ações como a baixa de desperdícios e economizaram R$2,8 bilhões. Os gastos administrativos foram inferiores a inflação, disse Míriam (presidente do banco).

Mesmo com os obstáculos, a carteira de crédito subiu para 11% a.a., o da habitação para 13% a.a., no total de R$384,2 bilhões.

Publicidade

Aplicaram R$732,7 bilhões no setor econômico do país e contaram com 82,9 milhões de clientes e que usaram a poupança em 2015 com alta foi de 6% em um ano. Chegou ao patamar de 80,7 milhões de pessoas que usam o banco e setor jurídico 2,2 milhões, um grande avanço. #Finança