Esse hábito de guardar moedas raras e colecioná-las chama-se Numismática. E você, integrante desse Brasil varonil, sabia que dentre as moedas circulantes existem aquelas que são raras?

Alguns exemplares podem valer até 70 vezes mais do que seu valor de face. A moeda de um real lançada em 1998, para comemorar os 50 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, pode alcançar preços em portais de comércio eletrônico da área numismática que variam entre R$ 50 e R$ 200. Isso dependendo do estado de conservação. O valor de venda é explicado devido a sua raridade diante do total de moedas de um real que circulou. Por sua vez, a moeda de cinco centavos, cunhada em 1999, por exemplo, pode alcançar R$ 35.

Publicidade
Publicidade

Os colecionadores têm outro deleite para exercer com entusiasmo sua predileção por moedas: é que, desde 2008, criaram-se os álbuns destinados para os aficionados da numismática. Dentro deles, há um espaço para guardar as moedas juntamente com todas as informações possíveis sobre cada item, desde o tipo de metal utilizado na cunhagem até a quantidade produzida. Curioso é que nem toda moeda é feita com o mesmo tipo de metal. Ou seja, há variações do uso de um outro metal para o mesmo valor de face.

“Toda iniciativa para cativar o colecionador contribui para aumentar a procura pelas moedas” , diz Edivan de Oliveira Lima, colecionador, comerciante e diretor de divulgação da Sociedade Numismática Brasileira.

Ele também percebe o interesse de numismatas pelos álbuns como um incentivo, despertando a procura até daqueles mais exigentes: “Antes do álbum, ninguém colecionava moedas de aço.

Publicidade

Hoje, até quem possui uma grande coleção de moedas de ouro, prata e cobre se interessa pelas atuais”.

O evento das Olimpíadas de 2016, que ocorrerá no Rio de Janeiro, é o mote ideal para que a população brasileira conheça as moedas comemorativas que circulam pelo comércio, atualmente. E olha que não são poucas as variedades e o número delas que estão por aí.

Até 2012, emitiram-se apenas 5 moedas comemorativas (uma delas remetia aos 40 anos do Banco Central). A partir de então, lançaram-se 14 novas edições que lembram datas. No transcorrer do ano de 2015, foram nove emissões. O Banco Central informa que, neste ano, pretende lançar outras quatro emissões comemorativas. Preste atenção se as moedas não passaram pelas suas mãos ou estão guardadas em seu porta-níquel.

As emissões que remetem às Olimpíadas contemplam esportes como iatismo, basquete, golfe e vôlei (além de outras modalidades), todas com valor facial de R$ 1.

Lima estima que, a médio prazo, as moedas se valorizarão: “A tiragem delas é pequena, cerca de 20 milhões, e atletas, jornalistas e turistas que visitarem o país vão querer levar como recordação”. #Finança #Rio2016 #Arte