O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou nesta quarta-feira (23), que o índice de desemprego no país chegou a 8,2% em fevereiro. Essa taxa é classificada como a mais alta do mês desde 2009, onde ficou a 8,5%. Em relação ao total de meses é a maior de 2009, quando chegou a 8,8%. Em fevereiro ficou em 7,6% e no mesmo mês de 2015 em 5,8%.

Para Adriana Beringuy (técnica de #Trabalho e rendimento do IBGE), a taxa de desempregados aumentou no percentual de 2,4, maior elevação ao ano na sequência do mês (de fevereiro 2015 a 2016) e começou em 2002.

A estatística mostra que os desocupados aumentaram 7,2% em janeiro e chegou a 2 milhões de cidadãos.

Publicidade
Publicidade

Em análise igual ao mês de 2015, a alta foi de 39%, a maior da série.

Adriana disse que a baixa dos desocupados no mês de dezembro e aumento em janeiro e fevereiro, já havia ocorrido em anos anteriores. Para ela, houve uma inversão nos prognósticos, em vez dos ocupados diminuírem em fevereiro e os desocupados se elevarem, isso não ocorreu. Houve baixa de 1,9% dos ocupados em fevereiro, isso significa que teve diminuição na ocupação, quer dizer menos empregados em fevereiro de 2016.

Adriana informou que os empregados com carteira registrada no setor privado foi de 11,4 milhões (igual a janeiro), em fevereiro 2015 houve retroação de 4,1%.

Ocorreu baixa nos salários dos ocupados, a média salarial ficou em R$ 2.227,50, percentual menor de 1,5%, inferior a janeiro e 7,5% menor a 2015.

Analisando os meses de fevereiro, 2004 a 2014, verifica-se um aumento nos rendimentos.  A baixa nos ganhos é atual, iniciou em 2015 e continua neste ano de 2016.

Publicidade

No mês de janeiro houve retroação nos ganhos: no Recife foi de (-4,6%), São Paulo (-2,9%), Rio de Janeiro (-0,6%), crescimento em Belo Horizonte (2,5%), Salvador (0,6%). No ano passado ocorreu baixa dos rendimentos em todas as capitais do país. A cidade de Salvador foi a que obteve maior queda com 12,5% e Porto Alegre com (-5,3%).

O prognóstico do índice de ocupação para fevereiro de 2016 foi de 49,8%, para as regiões do país. Em janeiro ficou em 50,7%; e em fevereiro de 2015, o índice chegou a 52,3%.

Esta foi a última divulgação da Pesquisa Mensal de Emprego - quarta-feira (23). De agora em diante será a Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio) que irá em 211 mil casas abrangendo 3.464 cidades. #Desemprego #Governo