Você é inscrito na Nota Fiscal Paulista? Caso seja, saiba que o Governo do Estado de São Paulo resolveu pagar o valor atrasado, referente às compras feitas no início de 2015.  Para isso, serão transferidos R$ 811 milhões para as pessoas, que é referente a até 30% do ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) que foi recolhido nestes estabelecimentos.  

A justificativa para o atrasado deste pagamento é a crise. O #Governo deveria ter feito o repasse em outubro de 2015, mas só em abril de 2016 pagará. Quem tem o cadastro no site da Nota Fiscal Paulista pode entrar lá e consultar o valor referente ao primeiro semestre de 2015.

Publicidade
Publicidade

É este dinheiro que poderá sacar em abril.

O contribuinte que ainda não é cadastrado, pode entrar no site oficial do programa (www.nfp.fazenda.sp.gov.br) e informar os dados pessoais. O cadastro é simples e rápido de ser feito. Depois de terminá-lo, é possível ver se já tem algum valor disponível para ser sacado. Quem mesmo sem estar inscrito informa o número do CPF quando vai fazer uma compra ou faz compras em lojas virtuais, pode ter crédito antigo acumulado e possíveis valores já liberados.

Isso vale não apenas para pessoas que residem no estado de São Paulo, mas para brasileiros de todos os locais que fazem compra online, em loja cuja emissão da nota fiscal é realizada neste estado. O valor a ser recebido varia de acordo com o estabelecimento.

Até o momento o Governo paulista devolve até 30% do ICMS.

Publicidade

De julho de 2015 em diante essa quantia caiu para 20%. A população em geral só poderá sacar agora o valor que se refere a compras feitas no primeiro semestre de 2015 ou anterior a isso, que esteja com saldo acumulado. Prêmios de sorteio já podem ser sacados. Já as entidades sem fins lucrativos terão o direito de sacar também o crédito da segunda metade de 2015. Neste caso, o saque será disponibilizado no dia 27 de abril.

O valor mínimo para que a solicitação de saque possa ser feita é de R$ 25. O dinheiro é depositado direto na conta do titular. Caso prefira, o contribuinte pode descontar os créditos existentes do valor do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores). Para acumular créditos, o consumidor deve incluir o número do CPF nas notas fiscais e cupons fiscais dos mais variados estabelecimentos no estado de São Paulo ou nas compras virtuais. Na hora do cadastro é possível autorizar a participação no sorteio e ganhar prêmios durante o ano.  #Geraldo Alckmin #Crise econômica