Mesmo quem já tem a "manha" de declarar Imposto de Renda todos os anos, sempre tem alguma dúvida com relação a algum fato novo que surge em sua declaração anual - imagine então, quem está nos primeiros passos de fazer a declaração.

O importante é que se saiba, em linhas gerais, do que se trata e os principais pontos sobre IR. 

O Imposto de Renda, como o próprio nome diz, é o que os contribuintes pagam sobre seus ganhos - salários, aluguéis, prêmios e qualquer outro tipo de receita. O valor é proporcional com a renda, quem ganha mais, paga mais. Esse imposto é descontado mensalmente, de recebimentos de salários ou outras rendas, mas no início de cada ano, o contribuinte deve fazer a declaração, para que a Receita verifique se foi pago certo ou não.

Publicidade
Publicidade

As deduções (a porcentagem que o contribuinte deve pagar) estão estipuladas em um tabela, de acordo com faixas de rendimentos.

Trabalhadores sem registro e trabalhadores 

Trabalhadores que não têm registro em carteira de trabalho também precisam fazer a declaração de Imposto de Renda 2016 caso tenham um rendimento maior que o estipulado, de R$ 28.123,912 anual. 

O microempreendedor individual (MEI) também deve fazer a declaração de Imposto de Renda 2016 caso seus ganhos em 2015 tenham sido superior ao valor acima citado, que é o limite determinado pela Receita Federal.

O que declarar

A declaração deve ser preenchida com tudo o que o contribuinte ganhou no ano anterior, como rendas e salários, além do que já possuía, como imóvel e carro (ou se adquiriu e vendeu - essa informação também deve constar) e tudo o que pagou durante o ano anterior, como plano de saúde e escola.

Publicidade

Dos ganhos, salários, pensão, rendimento de aluguel e aposentadoria devem ser declarados como rendimentos tributáveis. Já o 13º salário e algum eventual prêmio que o contribuinte venha a ganhar, como loteria, por exemplo, são rendimentos já tributados, ou recolhidos  na fonte, termo pelo qual se conhece. Há ainda os não-tributáveis - ou isentos-, como mesada, seguro-desemprego e rendimentos de poupança, mas atenção, apesar de serem isentos, devem também ser declarados.

Comprovantes

Todos os comprovantes cujos valores devem ser informados na declaração de Imposto de Renda devem ser guardados, pelo prazo de 5 anos, pois nesse prazo a Receita pode solicitar uma averiguação. 

Os valores declarados devem estar de acordo com os mesmos, e para obtê-los, o contribuinte deve entrar em contato com as empresas (plano de saúde, previdência provada, escola etc). Normalmente as empresas os enviam, via carta ou e-mail, ou disponibilizam em seus sites.

Outras informações

Os dados bancários devem ser informados corretamente, para que no momento da restituição, caso haja, não dê problemas. 

Devem ser baixados dois programas: um para preenchimento da declaração e outro para envio.

O prazo deste ano vai até às 23:59 do dia 29 de abril. Mais informações podem ser encontradas no site da Receita Federal, neste endereço: receita.fazenda.gov.br #Finança