Por conta da #Crise econômica no país, muitos brasileiros se encontram endividados, porém, muitos ainda não reconheceram este problema. Segundo pesquisa feita pela SPC Brasil e a CNDL, 79% não tem certeza do que é estar endividado, e 37,5 % afirmam estar com dívidas atualmente. Para metade da população, ter dividas é o mesmo que ter contas não pagas, já 30,6% afirmam que é ter nome registrado em entidades de proteção ao crédito, por fim, 20,2% respondem corretamente, ou seja, que uma pessoa endividada é aquela que possui parcelas a vencer de compras ou empréstimos.

No meio a todos os brasileiros, 53% adimitem ter atrasado pelo menos uma conta.

Publicidade
Publicidade

Esses atrasos correspondem ao cartão de crédito, com 23%, conta de luz 17,9%, tv por assinatura  12,7%, e por ultimo, celular/telefone fixo com 12,5%.

Segundo a pesquisa, Vignoli diz “Obviamente essas mudanças são positivas, mas não se deve esperar ter o nome sujo para adotar atitudes mais responsáveis. É preciso ter em mente que o parcelamento, embora seja um mecanismo eficiente para comprar aquilo que se tem vontade, pode comprometer parte da renda do consumidor durante vários meses”. Ressalta também que se deve saber controlar o gasto com o cartão de crédito, pois pode ser facilmente endividado por conta de não estar vendo os gastos apenas na hora de efetuar o pagamento.

 Segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti,era esperado uma estabilidade das dividas, porém, do ano passado para esse ano, houve um aumento, indicando mal planejamentos dos brasileiros.

Publicidade

Completou dizendo: “O brasileiro se rende ao financiamento fácil para fazer uma compra, e nós sempre recomendamos que ele prefira o pagamento à vista para não ter dívidas de longo prazo. Quando as coisas estão indo bem, a falta de planejamento não é tão evidente. Mas, quando temos um ano ruim, como 2015, isso tem reflexos mais extremos sobre a inadimplência”.

 O Brasil, por ser um país bastante influenciado pelas grandes nações, se tornou muito consumista, por esse motivo, muitos possuem impulsos que fazem comprar tanto o que é desnecessário quanto aquilo que não esta a seu alcance, levando a criar cada vez mais dividas, e no final do mês, faltar dinheiro para quitá-las.